SAÚDE 04/01 11h39

No penúltimo dia de ano (30), o clima é de reflexão sobre o ano que se despede e os planos para o que se aproxima. Agradecimentos pelos bons momentos cada vez mais valorizados e desejos de melhorias futuras estão entre os sentimentos que vibram no Pará.

A Usina da Paz do Icuí, integrada ao programa Territórios Pela Paz (TerPaz), coordenado pela Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), foi entregue em 2021 e já começa a fazer a diferença na vida das pessoas. 

Solange do Socorro Rodrigues dos Santos, é usuária do curso de Costura Industrial. “Em 2022 espero concluir esse curso e já ter a oportunidade de começar a trabalhar com tudo o que eu aprendi. Isso vai favorecer muito a minha situação financeira, gerar renda para ajudar minha família. Essa oportunidade foi muito boa, que outras pessoas também possam ter. Que seja um ano de muita sorte para todos”, deseja. 

A colega dela, Sebastiana Alves Nazaré, conta que o ano foi muito difícil ainda por conta dos efeitos da pandemia. “Fiquei muito em casa, devido a idade, mas graças a Deus somos vencedores, não adoeci. Quando acalmou comecei a fazer o curso e estou gostando muito, espero que em 2022 sejam oferecidos mais para a população. É um aprendizado muito bom para nós. Vai me ajudar muito, é a primeira vez que manuseio uma máquina industrial e para mim, que vivo da costura, espero aprender mais ainda”, almeja. 

Já Carlaide Amaral de Souza, 65 anos, usuária da hidroginástica, diz que a atividade está ajudando a cuidar da saúde. “Eu estava precisando. Foi ótimo, estou gostando muito e já comecei a emagrecer, que é o que eu estava querendo. O ano de 2021 foi bem tranquilo para minha família, não adoecemos. Estamos fazendo de tudo para não pegar o vírus. Para 2022, desejo muita paz, saúde e trabalho”, afirmou. 

Cidadania

Danielle Ferreira, dona de casa, 38 anos, veio fazer a emissão de RG. “Com todas as tribulações, mas o ano foi muito bom e agradeço a Deus porque foi com saúde. Espero muita paz, saúde e prosperidade para 2022. Desejo um bom emprego, estou sem trabalho há um ano e mudaria quase tudo, minha autoestima e bem estar”, avalia.

Quem também foi procurar o serviço foi o aposentado Raimundo Nonato de Sousa, 77 anos. “Está tudo indo muito bem, o atendimento. Esperamos que daqui para frente continue e melhore mais um pouco. É a segunda vez que venho aqui e gosto muito dos funcionários, do atendimento. Para minha vida pessoal espero que Deus me dê minha saúde e eu continue fazendo meus serviços como cozinheiro. Cada vez melhorando mais. Adoeci, mas Deus me curou, e desejo muita saúde para todos”, pontuou.

O servente Natanael da Silva, 43 anos, destacou a importância do ano que se aproxima. “2021 foi um ano de muita batalha e correria, mas graças a Deus está dando tudo certo. Vim atrás dos benefícios, documentação. Creio que 2022 vai ser melhor ainda, de muita mudança. Estamos esperando que é um ano de eleição, que a mente da população seja iluminada para fazer uma votação correta e depois não venha a se arrepender. Para minha vida creio que os propósitos que eu tinha em mente, graças a Deus, consegui, mas vai ter muita mudança também”, imagina.

Para a psicóloga da Usina, Ana Lúcia Cordeiro, o espaço veio ocupar um papel importante na garantia da cidadania da comunidade. “Ela é relevante para as pessoas que viviam desprovidas de um atendimento de qualidade em todos os aspectos, tanto de saúde física e mental, educação, acesso a profissionalização, direitos básicos. Com os serviços de qualidade podemos reduzir o sofrimento psicológico, a questão da depressão e ansiedade, melhorando a qualidade de vida. Estamos atendendo muitos casos de adolescentes e oferecendo o serviço de saúde. Em 2022 pretendemos ampliar os atendimentos em grupo, multiplicadores sobre diversos temas, trabalhar com as práticas restaurativas entre outras”, informou. 

A meta do Estado é a construção de 10 Usinas da Paz entre a Região Metropolitana de Belém. Nos bairros da Cabanagem, Benguí, Guamá, Jurunas, Terra Firme, em Belém e Nova União, em Marituba, e no sudeste do Estado nas cidades de Parauapebas, Canaã dos Carajás e Marabá.

Por Dayane Baía (SECOM)


SAÚDE 22/11 11h24

Ações integram as campanhas “Novembro Negro” e “Novembro Azul” e, neste sábado, estão na Terra Firme, em Belém; e no Icuí-Guajará, em Ananindeua

O projeto “Ter Saúde”, promovido pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), está com uma programação diferenciada para as campanhas do Novembro Negro e Novembro Azul, nos bairros atendidos pelo Programa Territórios pela Paz (TerPaz). Neste sábado (20), moradores da Terra Firme, em Belém; e do Icuí-Guajará, em Ananindeua, participaram da ação.

"Essas ações são muito importantes, porque todo homem tem que se prevenir contra o câncer de próstata, inclusive eu já fiz os exames necessários, mas é importante ressaltar que não devemos nos cuidar somente neste mês que é dedicado há nós homens, os cuidados devem sem constantes’’, destacou o gestor de Sistema em Informática, José Silva, 62 anos, um dos participantes da atividade. 

Segundo a coordenadora da Sespa na Câmara Técnica do TerPaz, Alessandra Amaral, nesta edição, a Sespa está trabalhando com ações voltadas à educação, assistência à saúde dos homens e também para a população negra. Ela destaca também que os cuidados com a saúde devem ocorrer periodicamente, não somente neste mês, assim como o novembro negro deve ser praticado todos os dias. 

“As ações voltadas ao Novembro Negro visam a conscientização ao combate ao racismo, através de rodas de conversas, informando a população sobre a aprovação pelo Governo do Estado do Estatuto da Igualdade racial, além de proporcionar as crianças a oficina de confecção de bonecas Abayomi, valorizar a beleza da mulher negra através do autocuidado realizando a limpezas de pele, maquiagem e design de sobrancelhas, rodas de conversa sobre saúde da população negra. Já as ações voltadas ao novembro azul visam a educação e saúde integral do homem em todos os ciclos de vida. Levamos todos os serviços ofertados pelo SUS, consultas especializadas com foco na detecção de doenças crônicas, IST’s e tumores cancerígenos para início de tratamento precoce’’, afirmou Alessandra.

No Ter Saúde, a Coordenação Estadual de Saúde Indígena e das Populações Tradicionais (Cesipt) realiza, desde o início do mês, um conjunto de ações de saúde antirracistas, voltadas à população negra do nosso estado, no mês da consciência negra como: Roda de conversa sobre Combate ao Racismo; Oficina de Bonecas Abayomi; Autocuidado para mulheres negras, onde será realizado limpezas de pele, maquiagem para pele negra e design de sobrancelhas; Contação de Histórias de personalidades Negras para crianças- a partir de desenhos para colorir; Roda de conversa sobre Saúde da População Negra- relatos sobre cuidado com a saúde da população negra.

Além das ações do Ter Saúde com oferta e encaminhamentos, durante os serviços ofertados no Ter Saúde de atendimentos médicos: Clínico Geral; Ginecologista, Regulação. Testes Rápidos: IST, Hepatite B e C, Sífilis, Covid- 19. Vacinas: Tríplice Viral (Sarampo), HPV, H1N1, Cadastro para Passe Livre e Oferta de Cadeira de Rodas para Portadores de Deficiências.

O autônomo Silvio Cardoso, 57 anos, foi com a esposa em busca de atendimento médico. Segundo ele, desde a chegada do programa TerPaz, a saúde na comunidade melhorou.

"O programa TerPaz é uma benção, e está nos ajudando muito, não só com atendimento médico, mas com vários outros serviços, é importante cuidarmos da nossa saúde’’, concluiu o participante.    

Na educação em saúde focando na saúde integral do homem em todos os ciclos de vida, abordando temas como acesso e acolhimento na APS, serviço ofertados pelo SUS, pré-natal do parceiro, prevenção de violências em acidente e doenças crônicas não transmissíveis. 

Aluízio Cruz, 48 anos, destacou a importância de cuidar da saúde. ‘’Hoje aqui fui muito bem atendido, essas ações têm ajudado muito os moradores aqui da comunidade. Além disso, também gostei bastante da palestra que teve sobre a saúde do homem, devemos nos cuidar sempre’’, afirmou ele.

Na assistência em parceria com a policlínica metropolitana e HRAS agendando e encaminhando homens acima de 50 anos para realizar exames de rotina e consultas especializadas se necessário focando na detecção precoce de doenças crônicas, IST’s e tumores cancerígenos para início precoce de tratamento e resolutividade positiva. 

Os serviços continuam no domingo (21), na Escola Estadual Padre Benedito Chaves, na Rua dos Mundurucus, no bairro do Jurunas, e na Escola Municipal Walter Leite Caminha, na Travessa Quatro, 72, no bairro do Benguí. O atendimento é das 8h às 13 h.

Usina da Paz Icuí-Guajará

Na Usina da Paz Icuí-Guajará, em Ananindeua, também está sendo disponibilizado uma programação especial, como: 1. Realização de palestra educativa e explicativa sobre o câncer de próstata, orientação sobre a prevenção, alto análise, diagnóstico e tratamento, mostrando a importância da atuação precoce sobre os pacientes; 2. Rodas de conversa enfatizando a importância de acompanhamento médico e atenção aos sinais e sintomas relacionados à saúde do homem; 3. Dinâmica educativa com realização de atividades de reconhecimento sobre o Câncer de próstata; 4. Encaminhamento para consultas com especialistas e exames junto a coordenação da saúde do homem da SESPA na policlínica metropolitana.

Saiba mais sobre as campanhas

Neste mês é promovida a Campanha Novembro Azul, responsável pela conscientização do câncer de próstata, doença acometida aos homens. A data surgiu no ano de 1999 na Austrália, com um grupo de amigos que decidiram deixar o bigode crescer, a fim de chamar atenção para a saúde masculina. 

Além disso, neste mês também é celebrado o novembro Negro, em alusão ao Dia Nacional da Consciência Negra, que é comemorado em todo o país no dia 20 de novembro, em homenagem à data de morte de Zumbi dos Palmares, um escravo que se tornou líder do Quilombo dos Palmares em Pernambuco e simbolizou a luta do povo negro contra a escravidão.

A data foi instituída pela lei federal nº 12.519/2011 e tem como objetivo provocar uma reflexão sobre a importância da cultura africana na formação da identidade cultural brasileira.

Por Elizabeth Teixeira (SEAC)

 


SAÚDE 18/11 11h56

Secretaria de Estado de Saúde Pública tem oferecido à comunidade atendimento médico com clínico geral, odontológico e psicológico

Entregue pelo governo do Estado no último dia 20 de outubro, a primeira Usina da Paz (UsiPaz), no bairro do Icuí-Guajará, em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém, tem ofertado mais de 80 serviços gratuitos disponibilizados por órgãos estaduais e instituições parceiras. 
 
Nesse contexto, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) tem oferecido à comunidade atendimento médico com clínico geral, odontológico e psicológico, resultando em 2.127 atendimentos, sendo 808 em outubro e 1.319 entre 01 e 16 de novembro.   

Para as consultas, os moradores do Icuí-Guajará e de outros bairros de Ananindeua não precisam de encaminhamento. Basta procurar a Usina, nos horários e dias em que estão disponíveis os serviços de saúde: de terça a sexta-feira, de 8h às 12h, e de 14h às 17h. 

“Quando há necessidade de mais de uma consulta para os atendimentos médicos, odontológicos e psicológicos, o paciente é reagendado pelos profissionais”, informa Alessandra Amaral, coordenadora da Sespa no TerPaz. 

Ao todo são 18 profissionais envolvidos, entre médicos, psicólogos, odontólogos, técnicos em higiene dental, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Além dos atendimentos em consultórios, as equipes da Secretaria também têm feito palestras educativas e preventivas sobre diversos temas relacionados à saúde clínica e bucal, aos meses alusivos e rodas de conversas. 

“É muito importante pra nós, da Sespa, atuar nesta política do governo do Estado que veio para transformar vidas por meio de serviços de acolhimento e capacitação que empoderam as periferias. É a presença ainda mais forte e permanente do Estado a essas populações que já vêm sendo atendidas pelo TerPaz”, analisa o secretário de Saúde do Pará, Rômulo Rodovalho. 

A Usina da Paz é um projeto integrado ao programa estadual Territórios Pela Paz (TerPaz), elaborado pelo Governo do Pará e coordenado pela Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), em parceria com a iniciativa privada. 

O projeto é inédito no País, os moradores podem usufruir das instalações de dois prédios principais que irão ofertar diversos cursos, oficinas e atendimento público, um espaço para batedores e produtos de açaí, teatro, complexo poliesportivo, quadra de areia, piscina semiolímpica, playground, área viveiro, compostagem e horta, academia ao ar livre e estacionamento.

As obras da Usina do Icuí-Guajará foram executadas em parceria com a mineradora Vale, por meio de um termo de cooperação. O Estado não recebe nenhum recurso financeiro. A Usina foi entregue ao Governo após 18 meses do início da construção, pronta e equipada. A obra gerou, nesse período, a oferta de 100 vagas de emprego direto, com a contratação de mão de obra local do próprio bairro. (Com informações da Seac).

Por Mozart Lira (SESPA)


SAÚDE 18/10 10h19

Na manhã desta quinta-feira (14), gestores da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e demais membros da equipe técnica estiveram nas obras da Usina da Paz do Icuí-Guajará, em Ananindeua, onde fizeram a entrega de materiais odontológicos e de assistência médica nos espaços que serão utilizados pelo órgão. 

A Usina da Paz é um projeto integrado ao programa estadual Territórios Pela Paz (TerPaz), elaborado pelo Governo do Pará e coordenado pela Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), em parceria com a iniciativa privada. 

As UsiPaz serão complexos físicos de promoção da cidadania e saúde. "Na semana passada, estivemos verificando os espaços em que a Secretaria vai atuar e hoje retornamos para entregar esses equipamentos, com uma expectativa bem positiva por ver a entrega muito próxima de acontecer, de forma que a Sespa se fará presente nesse projeto do Governo do Estado, levando serviços de saúde, entre tantos outros, à população do bairro do Icuí”, destacou o secretário de Saúde do Pará, Rômulo Rodavalho.

Na Usina da Paz do Icuí, a Sespa oferecerá atendimento médico clínico, odontológico e psicológico. Ao todo serão 18 profissionais envolvidos, entre médicos, psicólogos, odontólogos, técnicos em higiene dental, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Segundo ainda o titular da Sespa, além dos atendimentos, as equipes da Secretaria também farão palestras educativas e preventivas sobre diversos temas relacionados à saúde clínica e bucal, aos meses alusivos e rodas de conversas. 

Estiveram ainda durante a entrega o secretário adjunto de Gestão Administrativa, Ariel Sampaio, as representante do TerPaz pela Sespa, Alessandra Amaral, Ivete Boulhosa e Marilda Braga; a diretora de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Kelly Silveira; o coordenador do GT Humanização, Luiz Guilherme  Martins, e o diretor de Patrimônio, Renato Flores. A equipe foi recebida por representantes da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac). 

Por Mozart Lira (SESPA)


SAÚDE 22/09 11h17

No Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, famílias que enfrentam dificuldades podem contar com o apoio de uma rede de proteção no Estado

A artesã Bianca Monteiro é mãe do adolescente Weligton Felipe Ferreira Pinto, 14 anos, que tem deficiência e é paciente do Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR), mantido em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Ela relata que, dois dias após ter ido pela primeira vez ao CIIR, ela foi contactada por telefone para receber a cadeira de rodas.

"Quando me ligaram, não acreditei, mas eu confiei. Meu filho precisa de tanta coisa e no projeto já consegui muita coisa. Ele também precisa de uma cirurgia no quadril e lá no CIIR, a médica já olhou para ele e disse: 'nós vamos operar', e agora só estou esperando me ligarem para ele passar com o ortopedista e fazer os exames pré-operatórios", diz ela, confiante. 

No Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, celebrado nesta terça-feira (21), a história de Weligton é um dos exemplos de como o Governo do Estado assegura os cuidados para amenizar as dificuldades enfrentadas por pessoas com deficiência no Pará. 


Foto: Pedro Guerreiro / Ag. Pará

No Pará, o CIIR é referência no tratamento de pessoas com deficiência. Administrado pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), em parceria com a Sespa, o CIIR garante aos usuários acesso aos serviços por meio de encaminhamento das Unidades de Saúde, via Central de Regulação de cada município, que por sua vez encaminha o paciente à regulação Estadual, onde o pedido é analisado conforme o perfil do usuário.

"Quando entrei no projeto eu me senti muita grata, quero passar a minha vida inteira lá dentro, é muito acolhedor. Vou fazer de tudo pra sempre estar por lá, porque é um lugar muito bom pra ele, e é isso que a gente estava precisando, de um centro como esse, de um projeto como este, para conquistarmos um pouco mais de dignidade", diz uma emocionada Bianca Monteiro, mãe do Weligton.

OUTRAS AÇÕES


Foto: Rodrigo Pinheiro / Ag.Pará

Por meio de ações da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac) e do programa Territórios Pela Paz (TerPaz), o Governo disponibiliza serviços que garantem dignidade a muitos paraenses. Até o momento, a Seac já entregou 1,8 mil cadeiras de rodas e equipamentos a Pessoas com Deficiência (PcDs) no Estado.

"A gente começa a perceber que, por meio das ações dos serviços do TerPaz, nessas ações de cidadania e saúde, as pessoas têm participado bastante. Eles dizem que há anos precisam de cadeiras de rodas e outros equipamentos. Mas agora, o TerPaz chegando nos bairros, descentralizando, é um sonho. Quando eles vão receber essas cadeiras, parece um sonho, nem temos como descrever a alegria das pessoas que recebem, dos familiares, tem sido fantástico, tanto pra gente quanto para a família", destaca Alessandra Amaral, coordenadora das ações de distribuição dos materiais pelo TerPaz. 

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) mantém também açõçes inclusivas no Núcleo de Esporte e Lazer (NEL), em Belém, que proporcionam atividades esportivas. "A Seduc tem várias atividades voltadas para PCDs, tanto para o visual, físico, quanto para os com síndrome de down, intelectual, autistas, enfim, nós fazemos prática de esporte ou esporte adaptado para todas as pessoas com deficiência, tanto em Belém quanto no interior. E escolhemos os melhores atletas para representar o Estado nas Paraolimpíadas Escolares, para melhorar a autoestima , trazendo cidadania enfim, damos um norte para muitos desses jovens que muita vezes ficam sem rumo", destaca Marcley Lima, coordenador de Esporte e Lazer do NEL.

O 21 de setembro, Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, foi instituído em 1982, por reivindicação dos movimentos sociais, com o objetivo de promover e debater a inclusão social. A data foi oficializada pelo então vice-presidente da República, José Alencar, em 2005. 

Por Bruno Magno (CPH)


SAÚDE 08/09 11h48

A juventude é alvo de muitos conflitos, e um deles está relacionado à saúde mental. Várias iniciativas do governo estadual, por meio de programas educativos e sociais, têm servido como apoio para que esses jovens não optem por caminhos que coloquem em risco a própria vida na urgência de se livrar de problemas emocionais, e que ajudam na autoestima.

Pelo programa Territórios Pela Paz (Terpaz), o “Cenas de Paz", um projeto desenvolvido pela  Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa), leva aos jovens conteúdos diversos de comunicação, com duração de 72 horas de aulas. 

Mateus Alves foi um dos participantes do "Cenas" e conta ter gostado de experiência. "Eu consegui enxergar nos meus colegas da escola muito das suas realidades, que eu não conseguia ver antes. Montamos um curta-metragem que inclusive ganhou premiação de Melhor Filme em um festival de cinema", disse, orgulhoso.

Integração - A Secretaria de Estado de  Educação (Seduc) também está inserida no programa, levando vários projetos para os jovens, desde o "Música pela Paz", a Escolinha de Futsal e a oficina de educação fiscal, que visa a disseminar os conceitos sobre tributação, a aplicação dos recursos públicos e a relação entre o Estado e a sociedade.

Já o "Que Nem Maré" tem como intuito promover oficinas de contação de histórias e atividades lúdicas para crianças e jovens. Jhon Kelin, de 10 anos, participou de uma das atividades. “Aqui pude desenhar, pintar, escrever, encontrar com outras crianças e aprender novas histórias, me senti muito bem”, relatou.

Direcionado - Há ainda o "Juventude pela Paz’, uma iniciativa da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Secretaria Municipal de Esporte, Juventude e Lazer (Sejel) e Fundação Cultural do Pará (FCP).

“O principal objetivo desses projetos e atividades é se aproximar ainda mais desse público jovem, no sentido de conhecer, conversar e refletir sobre as políticas públicas que fazem parte do TerPaz, para que eles se apropriem dos serviços, já que essa política pública foi pensada para eles”, detalhou a diretora do Núcleo de Articulação da Cidadania da Seac, Juliana Barroso.

As ações inseridas no programa TerPaz, no momento, estão sendo realizadas em escolas públicas, centros comunitários, delegacias e instituições parceiras. Todos têm a pedagogia de inclusão, de prevenção, profissionalização e resgate desses jovens, trabalhando assim a saúde mental desta juventude.

Sejudh - Flávio Moreira de Paula é gerente da Juventude pela Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), e explica que o setor atua no intento de promover a saúde mental dos jovens através de atividades físicas, acompanhando e encaminhando para a rede de Saúde.

“Temos 2,6 milhões de jovens, e nós, da Gerência da Juventude, estamos juntos com eles em várias frentes. Capacitação, processo de formação e Direitos Humanos, formação em cima do Estatuto da Juventude, e estamos reativando a frente parlamentar para pautar as políticas públicas voltadas para juventude", resumiu o gestor.

A Sejudh está fechando com o Banco do Estado do Pará (Banpará) parceria para a iniciativa Juventude Empreendedora Banpará, a fim de fomentar o empreendedorismo entre os jovens, além de estar envolvida ainda no programa CNH Pai D'Égua, voltada a adultos com 18 anos completos que não tem condições de custear a formação de condução de veículos. Paradao há dois anos, o Conselho Estadual da Juventude também está em processo de reativação.

No início do ano, a pasta recebeu um chamamento da juventude de Breves, onde neste período de pandemia alguns jovens se suicidaram. A Sejudh então montou uma equipe multidisciplinar emergencial psicoeducacional, que detecta o problema, investiga o que desencadeou estes suicídios, realiza a escuta dos jovens e, com muito cuidado, elabora um relatório que é encaminhado à Sespa.

"De um modo geral, o que nossa pesquisa 'juventudes e pandemia' aponta é que um em cada dez jovens admite que tem como um dos impactos dessa crise o pensamento suicida ou de auto mutilação. Esse número ainda é maior na faixa de 15 a 17 anos. Pode ser considerado  muito mais grave se levarmos em conta a dificuldade que muitos jovens têm de se abrir e compartilhar esse problema, são dados ainda subnotificados mas são já preocupantes", alerta Flávio.

Acadêmico - A psicóloga Maria de Nazaré Gonçalves da Universidade do Estado do Pará (Uepa), do Serviço de Psicologia, vinculado ao Núcleo de Assistência Estudantil (NAE), garante que os universitários recebem acolhimento e são referenciados para unidades especializadas se apresentam sintomas de sofrimento psíquico.

"As orientações que damos aos alunos têm caráter preventivo, e agora de forma remota  devido à pandemia, orientamos a cuidar das emoções e dos sentimentos, trabalhamos os conflitos pessoais, familiares, que podem ter se agravado devido a hiper convivência relacionada ao isolamento. Esclarecemos sobre a importância de se manter ativo e cultivar bons hábitos, manter alimentação e sono adequados, atividades físicas, lazer com os cuidados necessários neste contexto de pandemia, buscar o autoconhecimento, que é uma forma de aliviar o sofrimento pela mudança brusca do cotidiano", esmiúça.

A Uepa proporciona aos alunos em processo de formação profissional um espaço de acolhimento e suporte psicológico, já que na trajetória acadêmica podem surgir demandas que geralmente indicam um quadro clínico de ansiedade, tais como: humor negativo, baixa autoestima, e em casos extremos, sintomas corporais inquietações do medo. 

"Nesta fase de desenvolvimento é que estes transtornos mentais tendem a aparecer. Por isso a escuta terapêutica especializada torna-se imprescindível”, reforça Maria se Nazaré.

Atenção aos sintomas - O médico psiquiatra Thiago Brito, da Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna, atenta para os sinais que podem aparecer de forma não tão explícita.

"Precisamos estar atentos a alguns indicativos de sofrimento psíquico em familiares, amigos, como por exemplo o isolamento excessivo, abandono de cuidados com a própria higiene pessoal, choro frequente. Não é muito comum a pessoa dizer que quer se matar, mas ela se expressa de outras formas: diz que quer sumir, deixa de fazer coisas que antes gostava. Tudo isso pode estar associado a um quadro depressivo ou de ansiedade", alerta o médico.

Geralmente, a depressão está associada a fatores internos e externos, e este último está inclusive relacionada ao excesso de informações que nos bombardeiam a todo momento, especialmente pelas redes sociais - os chamados "gatilhos".

"É necessário que a pessoa seja acolhida, sem julgamentos, para que possa ser indicada a um tratamento adequado. É ideal que haja o estímulo para que a pessoa busque ajuda, e assim é possível contribuir para a diminuição da taxa de suicídio, em todas as idades", recomenda o psiquiatra.

Por Carol Menezes (SECOM)


SAÚDE 04/02 09h05

Por Mozart Lira (SESPA)

Projeto garante consultas pediátricas, ginecológicas, com clínico geral, e encaminhamentos para consultas e exames especializados 

A Secretaria de Saúde do Pará (Sespa) retomou em 16 de janeiro de 2021, os atendimentos do “TerSaúde” nos sete territórios da Região Metropolitana de Belém. A iniciativa integra o Programa TerPaz.

As atividades foram realizadas nos dias 16, 17, 23, 24, 30 e 31 de janeiro, sempre durante as manhãs dos sábados e domingos. Pelo balanço, os territórios registraram os seguintes números de atendimentos: Bengui (1.586); Cabanagem (980); Guamá (2.927); Icuí (868); Jurunas (1.635); Marituba (772) e Terra Firme (1.668). 

O projeto contempla consultas ginecológicas, pediátricas e com clínico geral, e ainda aferição de pressão arterial, teste de glicemia e encaminhamento para consultas e exames especializados, por meio da Central de Regulação da Sespa. 

Em todas as ações também são oferecidos conhecimentos, por meio de palestras educativas, sobre temas de interesse geral; prevenção à Covid-19 e saúde oral, além da distribuição de kits para higiene bucal.

Segundo a coordenadora do TerSaúde, da Sespa, no TerPaz, Alessandra Amaral, o objetivo da equipe é superar ainda mais o número de pessoas atendidas. “Nossa expectativa sempre será a de superar os números de atendimentos anteriores e beneficiar a população que tanto necessita desses serviços".

A coordenadora afimou, ainda, "que possamos estar presentes, através das ações do governo do Estado, em todos os bairros que compõem os territórios do TerPaz, e com a inauguração das Usinas da Paz também atender, de segunda a sexta, todos que procurarem por serviços médicos, odontológicos, psicológicos, entre outros, que as Usinas irão ofertar para os territórios”, reiterou.

De acordo com o secretário de Saúde do Pará, Romulo Rodovalho, a população pode ficar tranquila e segura quanto ao atendimento feito pelas equipes, pois que elas atuam cumprindo as medidas sanitárias contra a Covid-19. As equipes usam álcool em gel e estão verificando a temperatura dos assistidos.

O usuário que deseja ser atendido em uma das ações do “TerSaúde” precisa apenas se dirigir a um dos pontos de atendimento durante os finais de semana, portando documento de identificação e cartão do SUS (Sistema Único de Saúde).

Somente em 2020, o projeto realizou 86.499 atendimentos e levou serviços essenciais à população dos bairros atendidos, visando amenizar a demanda da atenção básica à saúde no sistema público. 

SERVIÇO

Neste próximo sábado (07), os serviços do TerSaúde estarão à disposição na programação do TerPaz, nos bairros do Jurunas e Guamá. No domingo (08), serão a vez de Cabanagem e Icuí.

Confira o que será disponibilizado pelo TerSaúde:

- Consultas nas especialidades clínica médica, pediatria e ginecologia

- Encaminhamentos para consultas via regulação

- Palestras e rodas de conversa alusivas às campanhas do mês: Fevereiro Roxo, alusão à prevenção da Doença de Alzheimer, e Fevereiro Laranja, de alerta à leucemia 

- Palestras educativas e preventivas de saúde bucal, com entrega de kits de higiene bucal

- Testes rápidos para sífilis e hepatites B e para Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)

- Vacinas: tríplice viral e HPV

- Orientações de prevenção da Covid-19 com entregas de máscaras. 

 


SAÚDE 25/01 09h12

Por Roberta Vilanova (SESPA)

A edição 2021 de tema a “Hanseníase: Conhecer para Não Discriminar”, tem a finalidade de informar a população sobre sintomas, diagnóstico e tratamento

 

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) realiza desta quarta-feira (20) até 4 de fevereiro, a programação alusiva ao Janeiro Roxo, com o objetivo de combater o estigma, a discriminação, o preconceito e a exclusão social contra as pessoas acometidas pela hanseníase.

A campanha, que traz como tema “Hanseníase: Conhecer para Não Discriminar”, também tem a finalidade de informar a população sobre os sinais e sintomas, diagnóstico e tratamento da doença que tem cura.

A programação começou na manhã desta quarta-feira com uma videoconferência destinada aos profissionais de Saúde de todo o Estado, com apoio do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), que disponibilizará o link para todos os municípios paraenses.

Com o tema “Hanseníase”, o evento abordou manifestações clínicas, diagnóstico diferencial, diagnóstico clínico, prevenção de incapacidades e controle dos comunicantes, tendo como palestrantes a dermatologista Andressa Bocalon e a fisioterapeuta Terezinha Araújo (URE Dr. Marcello Cândia), e a dermatologista Carla Pires (Uepa).

Nos dias 30 e 31 de janeiro, haverá uma palestra educativa com o tema “Enfrentamento do Estima e Preconceito” na programação do TerPaz nos bairros do Guamá e Jurunas, respectivamente. No dia 4 de fevereiro, será realizada uma videoconferência voltada para os agentes comunitários de Saúde, com o tema “Hanseníase: conhecer para não discriminar – Estratégia de enfrentamento do Estigma e Preconceito”.

Segundo a enfermeira e técnica da Coordenação Estadual de Controle da Hanseníase, Jovina Malcher, o principal foco da campanha é levar informação e conhecimento sobre a doença, falando claramente que nem toda pessoa que adoece de hanseníase vai desenvolver dano físico, que é o que mais provoca o preconceito e estigma contra os pacientes, levando ao isolamento.

“Vamos enfatizar que existe tratamento e cura, que basta a pessoa procurar a unidade básica de saúde logo que surgirem os primeiros sinais ou sintomas da hanseníase para confirmar o diagnóstico precocemente e evitar danos físicos. Essa também é uma forma de evitar o preconceito, que traz um dano pessoal, social e emocional muito grande”, afirmou Jovina Malcher.

Endemia - Embora seja uma doença de registro milenar, a hanseníase ainda é considerada um problema de saúde pública e é endêmica no Pará. Conforme dados da Sespa, foram registrados 2.512 casos novos em 2019 e 1.535 casos até o momento em 2020, pois os dados ainda são parciais e só serão fechados após 31 de março deste ano, quando o Ministério da Saúde encerra o ano epidemiológico.

O médico dermatologista e hansenologista da Unidade de Referência Especializada Marcello Cândia, Carlos Cruz, acredita que haverá uma redução de casos da doença entre 2019 e 2020 em função da pandemia, pois que as pessoas deixaram de comparecer às Unidades de Saúde com medo de ser contaminadas pelo novo coronavírus.

Outra informação importante dada pelo médico é que atualmente, apenas 10% dos casos novos estão sendo identificados a partir de exames dos contatos de pessoas doentes. “Os casos novos deveriam ser identificados proporcionalmente mais no seio familiar, infelizmente não tem sido assim. Mais de 80% dos casos têm sido identificados por demanda espontânea ou encaminhamento às unidades de saúde. Isso significa que as pessoas estão adoecendo muito mais fora do ambiente familiar, em contatos sociais, escola, ambiente de trabalho etc”, alertou Carlos Cruz.

Carlos Cruz também acredita que em dois a cinco anos poderá haver mudança nesse cenário com uma redução de casos de hanseníase motivada pelo uso da máscara nesses ambientes durante a pandemia porque o período de incubação da doença é de cinco anos.

“E assim como a Covid-19, tuberculose e outras doenças a hanseníase é transmitida pelas vias aéreas superiores, que eliminam o bacilo de Hansen pela fala, tosse ou espirro, contaminando quem está próximo. A vantagem é que 90% da população já tem imunidade natural e mesmo exposta a esse foco de infecção não adoecem e o uso da máscara também reduz esse risco”, explicou o especialista.

Sinais e sintomas - A hanseníase é uma doença infectocontagiosa e os principais sinais e sintomas são presença de manchas com alteração de sensibilidade. “Qualquer mancha dormente é hanseníase, não há outra doença que cause mancha com dormência", disse o médico.

"Também pode haver machas semelhantes a impinge, que não dão coceira e não melhoram com uso de medicamentos de uso tópico, e ainda manifestações neurológicas como sensação de ferroadas, choque, formigamento e perda de sensibilidade de mãos e pés são muito presentes na hanseníase”, detalhou o dermatologista e hansenologista Carlos Cruz.

O diagnóstico é essencialmente clínico, mas pode ter suporte de um exame chamado de bacilosocopia, que é a busca de bacilos em locais específicos da pele, como em lesões nas orelhas e cotovelos, só que 75% desse exame têm resultado negativo o que não significa que a pessoa não tem a doença. “Por isso, o diagnóstico tem que ser clínico”, acrescentou o dermatologista.

Quando a hanseníase não é diagnosticada precocemente, ela pode levar a incapacidades físicas daí a importância de procurar ajuda médica logo ao primeiro sinal da doença. Segundo Carlos Cruz, cerca de 6% dos pacientes já apresentam incapacidades no momento do diagnóstico, o que reflete um diagnóstico tardio e é preocupante.

Ele ressaltou que o primeiro atendimento tem que ser na unidade básica de saúde, que é a porta de entrada do SUS, ficando a URE Marcelo Cândia, em Marituba, destinada ao atendimento de casos que apresentem complicações.

Tratamento - Quanto ao tratamento, o especialista Carlos Cruz informou que varia de seis meses a um ano e às vezes pode ser prorrogado até dois anos. No caso das formas que não são transmissíveis, as chamadas paucibacilares o tratamento é de seis meses com dois medicamentos (um comprimido diário de Dapsona e um comprido mensal do antibiótico Rifanpicina).

“Tomou seis meses recebeu alta por cura”, afirmou o doutor Cruz. Já as formas multibacilares, que transmitem a doença, requerem um tratamento normalmente de 12 doses. “Mas existem situações excepcionais em que o paciente, ao final de 12 doses, ainda não está curado precisa fazer mais 12, assim poderá ir até dois anos”, explicou Carlos Cruz.

É importante informar, por fim, que os medicamentos usados no SUS vêm da Fundação Novartis por meio de doação à Organização Mundial de Saúde (OMS), que, por sua vez, doa a todos os países onde a hanseníase ainda é uma doença endêmica. Portanto, o Pará aguarda o repasse do Ministério da Saúde para o atendimento de pacientes no primeiro trimestre de 2021.

 


SAÚDE 20/01 09h15

Por Giovanna Abreu (SECOM)

No domingo (17), o programa vai até os bairros Guamá e Benguí, levando novidades

A partir deste sábado (16), estão de volta os atendimentos do projeto ‘TerSaúde’, que faz parte do Programa Territórios pela Paz (TerPaz), do governo do Estado. Os moradores dos bairros do Icuí e Terra Firme receberam serviços essenciais de prevenção à saúde, cidadania e atividades educativas. Neste domingo (17), é a vez do Benguí e Guamá receberem a ação, em Belém.

Em média, foram atendidas mais de 100 pessoas em cada território neste sábado (16). As ações ocorreram na Escola Estadual Maria de Nazaré Marques, no bairro Icuí, em Ananindeua, e na UIPP (Delegacia de Polícia), na Terra Firme, em Belém.

 

 

Somente em 2020, o projeto realizou 86.499 atendimentos e levou serviços essenciais à população dos bairros atendidos. O ‘TerSaúde’ havia sido suspenso devido à pandemia da Covid-19, enquanto a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) desenvolveu e segue com os serviços da Policlínica Itinerante. 

As ações do projeto são realizadas pela Sespa desde 2019, nos sete territórios já definidos na Região Metropolitana, sendo cinco em Belém (nos bairros Cabanagem, Terra Firme, Jurunas, Benguí e Guamá), um em Ananindeua (no Icuí) e um em Marituba (São Francisco/Nova União).

SERVIÇOS

- Consultas médicas com clínico geral, ginecologia e pediatria;

- Aferição de PA, Glicemia e temperatura;

- Encaminhamentos para consultas e exames especializados através da Regulação;

- Palestras educativas, rodas de conversas, debates e encaminhamentos como ações preventivas sobre temas de saúde: ‘Janeiro Branco’, desenvolvido pela Coordenação da Saúde Mental da Sespa; assim como ‘Violência contra a mulher, prevenção e pacto da mortalidade materna’, que é um plano prioritário do Governo;

- Distribuição de kits de higiene bucal, que faz parte do novo programa estadual Saúde Bucal por todo o Pará, desenvolvido nas escolas paraenses, enfatizando a importância da higienização e cuidados com os dentes;

- Atendimento com psicólogo;

- Testes rápidos de sífilis, hepatite B e C, IST;

- Vacinação: Sarampo e H1N.

NOVIDADES

A nova versão de 2021 do ‘TerSaúde’ trouxe a oferta de novos serviços, com a integração de mais coordenações da Atenção Básica do Estado. Segundo Alessandra Amaral, coordenadora do projeto e da Sespa no TerPaz, agora é possível realizar também o cadastro de Passe Livre para pessoas com deficiência (Prodepa), assim como o cadastro para entrega de cadeira de rodas, órtese e prótese (Ciir) e o emprego das técnica PICs (Práticas integrativas e complementares na saúde) com a Auriculoterapia.

"Trabalhamos para a ampliação deste projeto por todo o Pará. Teremos Usinas da Paz em Canaã dos Carajás, Marabá e Parauapebas. Também trabalhamos com a proposta de garantir os serviços em Altamira, além da Região Metropolitana de Belém, Ananindeua e Marituba", informa a coordenadora.

De acordo com Juliana Barroso, diretora-geral do Núcleo de Articulação da Cidadania, da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), o diferencial deste projeto é levar até a comunidade um serviço de qualidade, com atuação integrada, para buscar a prevenção de doenças e melhorar a qualidade de vida dos paraenses.

“Retomar essa parceria é uma grande satisfação. A saúde é uma pasta super importante no programa. Trabalhar com a prevenção de doenças só traz ganhos, tanto para a população, como para o Estado. Todos os sábados e domingos, a partir deste final de semana, estaremos levando serviços a quem precisa”, assegura.

DOMINGO

Neste domingo (17), no bairro do Benguí, os serviços serão disponibilizados na Escola Estadual Maria Luiza da Costa Rêgo (Rua Lameira Bittencourt, s/n, próximo à Feira) e no Guamá, na Escola Municipal Edson Luís (Rua Barão de Igarapé Miri, 1415).

Os interessados devem levar o Cartão Nacional do Sus e o documento de identificação oficial com foto para receber todo e qualquer atendimento, das 8h às 13h.

 


SAÚDE 09/12 09h54

Por Caroliny Pinho (SESPA)

A Divisão de Controle de Doenças Transmissíveis da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) realizou, na manhã deste sábado (5) na Escola Estadual Brigadeiro Fontenelle, no bairro da Terra Firme, em Belém, e na Escola Estadual Cristo Rei, no Icuí-Guajará, em Ananindeua, ações da campanha “Atenção, Cuidado e Proteção #ParáPrevenido”, em alusão ao período de combate a Ist/Aids que incluíram a realização de testes rápidos para detecção de hepatites virais, sífilis e HIV, entrega de resultados, além da distribuição de preservativos femininos e masculinos com orientações sobre o uso e como evitar infecções sexualmente transmissíveis.

“O dezembro vermelho é um mês de conscientização sobre a AIDS, mas durante o ano todo a população também pode receber orientações nas unidades básicas de saúde e nos Centros Regionais de Saúde. Ações como essa são importantes para desmistificar a doença e as formas de contágios das IST’s, além de levar informação e cuidado a população”, explica Andrea Miranda, Coordenadora Estadual de IST/Aids pela Sespa.

Segundo o balanço do primeiro dia, foram realizados 20 atendimentos e 80 testes na Terra Firme e 22 atendimentos e 88 testagens no Icuí-Guajará. Os usuários do Sistema Único de Saúde que fizeram os testes, receberam o resultado de modo sigiloso e conforme o diagnóstico são imediatamente encaminhados para fazer o tratamento e o acompanhamento nas unidades básicas de saúde ou aos serviços de atendimento especializado (SAE’s). As ações são voltadas para toda população sexualmente ativa ou que deseja fazer o teste e saber seu status sorológico.

A testagem acontece de modo simples, na qual o paciente apresenta sua identificação e em seguida é coletada uma pequena quantidade de sangue e cerca de 20 minutos depois a entrega do resultado é feita por um aconselhador que faz a interpretação do resultado. Esse teste é preconizado pelo Ministério da Saúde e acontece desse modo em todo o país.

As ações da campanha “Atenção, Cuidado e Proteção #ParáPrevenido” acontecem em parceria com o TerPaz através do programa TerSaúde, que já acontece em pontos estratégicos da cidade. “Todo o tempo estamos nos bairros e com as comunidades. Eles nos mostram as principais necessidades para que possamos atendê-los. Esse é um serviçoo inovador, uma política pública que veio para ficar e a nossa intenção é que as ações do dezembro vermelho aconteçam novamente no próximo final de semana”, disse Alessandra Amaral, coordenadora do TerPaz pela Sespa.

Neste domingo (06), mais duas escolas de Belém receberão as ações. Para ser atendido, basta levar carteira de identidade, comprovante de residência e cartão SUS.

Serviço

Data: Domingo – 06 de dezembro

Local: Escola Estadual Camilo Salgado, Avenida Roberto Camelier, número 823, no bairro do Jurunas e na Escola José Valente, Estr. do Benjamin, Cabanagem.  

Horário: 8h às 13h.