Com tema sobre saúde bucal, a iniciativa empolgou os jovens atores e os pais que estavam na plateia

Para encerrar a programação de Natal da Usina da Paz Icuí-Guajará, em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, foi realizado um espetáculo na tarde desta quinta-feira (23), denominado “Natal da Saúde Bucal”, com crianças de 8 a 13 anos, alunos do teatro e pacientes do Setor de Odontologia da UsiPaz.

A iniciativa é da Coordenação de Saúde Bucal, da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), e visa gerar conhecimento na área de saúde bucal, priorizando o autocuidado. “Hoje nós estamos com nossos atores, que são pacientes da odontologia, e também são usuários de várias atividades da Usina da Paz. Para a gente é muito gratificante, porque a gente está vendo que realmente a UsiPaz está tendo o objetivo que o governo do Estado buscava, que é não só promover saúde, mas promover essa interação, espalhar alegria e amor. Nós estamos conseguindo finalizar o ano com a sensação de dever cumprido”, ressaltou Alessandra Amaral, coordenadora da Sespa no TerPaz.

“Essa elaboração veio através dos atendimentos das crianças na Usina da Paz e, de fato, para não ficar somente no atendimento odontológico, a gente tentou puxá-las para essa apresentação, uma ação educativa. Então, eles vão ensinar o público como é fazer esse processo, de forma lúdica”, explicou o coordenador das ações da Sespa na Usina da Paz Icuí-Guajará, Gabriel Martins.

Orgulho de mãe

Na plateia estava a professora Alessandra Nunes, que aguardava a participação da filha, Lizandra Deadorin, 11 anos. “Eu acho que falar desse tema na linguagem da criança, de forma bem lúdica, é sensacional. A mensagem é mais absorvida por elas. Minha filha vai se apresentar pela primeira vez, e está animada”, disse.

Ivone Lima também aguardava o filho, Luan Gabriel, 9 anos. “Ele gosta de participar das atividades aqui do teatro; se identificou bastante. Moramos aqui perto, e a Usina da Paz está sendo maravilhoso para nossa família”, contou Ivone Lima.

Na coxia do teatro, a estudante Alana Vitória, 11 anos, quanto se preparava para entrar no palco, ela falou sobre a expectativa para seu primeiro espetáculo. “Viver tudo isso aqui é muito legal! Representar e falar sobre esses cuidados, que são importantes, como usar fio dental e escovar direito. E estou ansiosa”.

A programação também foi um momento feliz para Júlia Martins, 11 anos. “Eu já havia participado de uma apresentação na escola. Eu sempre gostei de teatro, desse ambiente, e estou muito feliz e nervosa. Mas vai dar tudo certo”, afirmou.

Segundo o gerente-geral da Usina da Paz Icuí-Guajará, Alex Melul, o espetáculo encerrou as atividades de Natal do complexo de cidadania. “O evento é de suma importância para a gente da Usina da Paz, e hoje é o fechamento dessas atividades de Natal. Nós estamos no dia 23 de dezembro. Esse é o nosso último evento antes do Natal. Muito importante para nossas crianças, que são atendidas aqui com seus pais e a família em geral”, informou Alex Melul.

Serviço:

Devido às festas de final de ano, a Usina da Paz Icuí-Guajará, nos dias 24 e 25 de dezembro, estará fechada, retornando no domingo (26), das 8 às 18 h. Na segunda-feira (27), a Usina da Paz estará fechada para manutenção, voltando às atividades na terça-feira (28), das 8 às 22 h.

Nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro, a Usina da Paz também estará fechada, retornando no domingo (02), das 8 às 18 h. Na segunda-feira (03), a Usina da Paz estará fechada para manutenção, voltando ao funcionamento normal na terça-feira (04), das 8 às 22 h.

Por Paulo Garcia (SEAC)


Os títulos selecionados foram arrecadados pela campanha “Doe Livros, Doe Conhecimentos" idealizada e executada pela Imprensa Oficial do Pará (Ioepa)

O Portal do Conhecimento, projeto de arrecadação e doação de livros da Imprensa Oficial do Estado, entregou nesta semana, 300 livros para a Escola Estadual de Educação Tecnológica do Estado do Pará “EETEPA Doutor Celso Malcher”, localizada dentro do Parque de Ciência e Tecnologia do Guamá (PTC Guamá). Os livros selecionados foram arrecadados pela campanha “Doe Livros, Doe Conhecimentos” e vão compor o acervo da biblioteca que será montada pela instituição.

Segundo a coordenadora do projeto, Sandra Batista, por se tratar de uma escola técnica grande parte dos livros selecionados são voltados para os cursos ofertados aos estudantes. “São livros de informática, comportamento, administração, políticas públicas, qualidade de vida, idiomas, contabilidade, sociologia, filosofia e direito, mas também selecionamos alguns de romances para que a juventude se interesse por esse tipo de literatura e exercite a imaginação”, comentou.

Na próxima semana, está agendada a doação de 300 livros ao Programa Territórios pela Paz (TerPaz), em Ananindeua. Trata-se da primeira das cinco doações agendadas pelo Portal do Conhecimento ao programa TerPaz. Nesta ação, os livros vão complementar o espaço de leitura do programa, que oferta oficinas diversas à comunidade na nova Usina de Paz (UsiPaz Icuí), localizada na estrada do Icuí-Guajará.

No início do mês, os técnicos do Portal do Conhecimento entregaram mais 260 livros técnicos e de literatura para o espaço de leitura da Escola de Administração Penitenciária do Estado do Pará (EAP), localizada no município de Marituba. “Como estão reformando o prédio e construindo o espaço, nos solicitaram alguns livros que vão somar aos outros doados por meio de uma campanha que também estão organizando”, informou Sandra Batista.

Pontos de Arrecadação

Para fortalecer a campanha de arrecadação de livros do Portal do Conhecimento, a fim de atender às solicitações de doações de espaços de leitura e bibliotecas comunitárias pelo Pará, Sandra Batista esclarece que já foram firmadas algumas parcerias com entidades públicas e privadas, como pontos de arrecadação de livros. “No início do mês, colocamos um ponto de arrecadação no prédio da Biblioteca da Universidade Federal do Pará e já arrecadamos duas remessas de 500 livros técnicos, didáticos e de direito, mas a campanha de arrecadação segue até o final de dezembro”.

Já a campanha “Condomínio Amigo da Leitura”, iniciada setembro, em parceria com o Sindicato dos Condomínios do Pará (Sindcom/Secovi), também segue até o final do ano com pontos de arrecadação de livros em doze condomínios de classe média da capital paraense. Já foram arrecadados 445 livros em dois edifícios parceiros.

Para esta doação, os técnicos do Portal do Conhecimento tiveram o cuidado de separar os livros direcionados às oficinas que são ofertadas no local. “Separamos livros de música, literatura, didáticos, revistas em quadrinhos, de receitas e outros que possam atender ao público daqueles bairros”, informou Lana Sanreth, técnica do projeto.

Para mais informações sobre o Portal do Conhecimento, acesse o site da Ioepa ou a página da campanha no Facebook.

*Texto de Julie Rocha (Ascom Ioepa)

Por Governo do Pará (SECOM)

 


O evento teve apresentações culturais, resultado das formações e oficinas oferecidas pelo projeto, com o objetivo de unir os Territórios Pela Paz

 

A estudante Yasmim Victoria da Silva, 12 anos, moradora do bairro da Terra Firme, em Belém, foi uma das participantes do Sarau realizado na tarde desta quinta-feira (30), voltado a crianças e adolescente dos bairros da Terra Firme e do Jurunas, que se reuniram no encerramento das atividades do Projeto “Que Nem Maré”, promovido dentro do Programa Territórios Pela Paz (TerPaz), por meio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

Sobre a participação no projeto, Yasmim disse que “uma das coisas que mais gostei foi ter conhecido novas crianças, e também de pintar”.

“Hoje foi a culminância do Projeto ‘Que Nem Maré’, que tem o objetivo de fortalecer a identidade afroamazônida, através de contação de histórias, e a formação das crianças para entenderem sobre seu lugar, seu território. Nesse encerramento, houve apresentações culturais dessas formações e oficinas, com o objetivo de unir os territórios, para que cada um possa conhecer o meio onde vive”, ressaltou a gestora do Território da Terra Firme, Gabriela Oliveira.

A programação foi realizada na Praça Ipê Roxo, na Terra Firme, e contou com o apoio das secretarias Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), de Saúde Pública (Sespa), de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e de Cultura (Secult), além da Prefeitura de Belém, que cedeu o espaço onde a ação foi realizada.

Amor à leitura - “Essas ações realizadas dentro do Programa TerPaz são de extrema importância. A contação de história é uma delas, e está ligada à educação por meio da leitura. Porque você desenvolver um trabalho lúdico através da leitura faz com que elas gostem do livro, e assim vamos aumentando esse conhecimento e amor pela leitura. Nós sabemos que vamos mudar a realidade deles, porque as crianças que passam a gostar da leitura permanecem assim, e o trabalho lúdico com a leitura mais ainda. Você trabalhar o teatro, a música, a poesia a partir da leitura de livros faz com que eles entendam a importância da leitura e da educação”, frisou a coordenadora da Seduc no TerPaz, Ivete Brabo.

Para a estudante Mikaely Silva, 10 anos, moradora do bairro do Jurunas, o evento foi de aprendizado e convivência. “Aprendi muitas coisas e conheci amiguinhos novos. Saber que não somos diferentes uns dos outros, todos somos iguais, e ter saído do meu bairro para vir para o da Terra Firme, está sendo muito legal”, contou.

Além dos resumos das oficinas, durante o Sarau foi encenada a peça teatral “A Menina do Laço de Fita”, da Turma Gueto Hub. Houve ainda apresentação de uma música do Projeto “Música Pela Paz”, leitura de poesias, aulão de ritmo, serviços de orientação de saúde bucal e distribuição de kits saúde bucal para as crianças, pela equipe da Sespa, e atendimento psicossocial e jurídico, por meio da Sejudh.

“Eu adorei participar desse projeto e ter conhecido outras crianças. Eu aprendi muitas coisas, e ainda vou participei da peça, com a personagem da menina do Laço de Fita”, disse a estudante Júlia Inês Bastos, 8 anos, moradora do Jurunas. O mesmo entusiasmo foi manifestado por Geovane Monteiro, 7 anos, morador da Terra Firme. “Eu gostei muito de brincar, conhecer novos amigos, pintar, e achei muito legal ter vindo para o encerramento”, afirmou o menino.

Identidade - O Projeto “Que Nem Maré” promove, desde agosto, oficinas de contação de histórias e atividades lúdicas para crianças de 06 a 12 anos, nos bairros atendidos pelo TerPaz, proporcionando reconhecimento e valorização da identidade afro, indígena e ribeirinha, por meio de oficinas de leitura, arte e atividades lúdicas. A programação permite às crianças o desenvolvimento de atividades lúdicas, criativas e educativas no contraturno escolar, evitando a ociosidade.

“Esse projeto tem como objetivo principal o reconhecimento e a valorização da identidade sociocultural dessas crianças, que têm uma especificidade de território, que precisam ser reconhecidos, e elas precisam se reconhecer dentro deles. Iniciamos com uma literatura afroindígena ribeirinha, e a partir daí desenvolvemos produto de teatro, de canto, dança e várias outras expressões da arte. Pretendemos estender esse projeto para os outros territórios. Iniciamos nos bairros da Terra Firme e do Jurunas. Essa foi a primeira experiência em fazer uma conexão entre os territórios. As crianças do Jurunas vieram para a Terra Firme para fazer uma apresentação e dividirem o palco”, informou a coordenadora do Projeto, Lília Melo.

Os outros territórios atendidos pelo TerPaz também serão beneficiados com o Projeto “Que Nem Maré”.

Por Elizabeth Teixeira (SEAC)