CIDADANIA 04/01 13h04

Em 2021, o Pará ganhou sua primeira Usina da Paz, na Região Metropolitana de Belém, e o Projeto “TerPaz, Formação Profissional”. Mais de 150 mil beneficiamentos foram realizados em 12 meses.

Mais de 150 mil beneficiamentos foram realizados nos sete bairros da Região Metropolitana de Belém atendidos pelo Programa Territórios Pela Paz (TerPaz), fechando 2021 com uma série de serviços oferecidos pelo Governo do Pará.

Os projetos foram adaptados à realidade imposta pela pandemia, a fim de levar mais qualidade de vida às famílias dos sete bairros, seja com a entrega de 8 mil cestas de alimentos, atendimento especializado para sintomas leves e moderados da Covid-19 ou a realização de testes e encaminhamento de casos graves, durante as ações do “Ter Saúde”, ação desenvolvida no âmbito do TerPaz.

 Aos 70 anos, Maria Santos foi uma das pessoas atendidas. "Foi em março, no auge da segunda onda, fiquei sabendo da ação de saúde e fui me consultar. O atendimento que recebi foi muito bom, tanto para mim quanto para as minhas filhas, que também foram atendidas. Como eu estava apresentando alguns sintomas, foi feito o exame RT-PCR. As pessoas me receberam com muita atenção, tudo muito organizado e sem demora", relatou.

Segundo o levantamento realizado pelo Núcleo de Relações Institucionais da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), órgão responsável por coordenador o TerPaz, foi realizado , de janeiro a novembro de 2021, 151.113 procedimentos nos bairros atendidos pelo programa com as ações itinerantes em escolas públicas, delegacias, centros comunitários e instituições parceiras.

Inclusão - Ainda na área da saúde, outra atividade de destaque foi a entrega de cadeiras de rodas. Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), foram entregues a Pessoas com Deficiência (PCDs) que moram nos bairros do TerPaz cadeiras de rodas, cadeiras de banho, banhitas e carrinhos, que facilitam a locomoção e as tarefas do dia a dia.

O estudante Bruno Henrique, 25 anos, se cadastrou na ação e foi um dos beneficiados. “Eu recebi uma cadeira de rodas e cadeira de banho. É muito gratificante receber um equipamento desse, novinho. A minha estava muito velha, e eu não tinha condições de comprar uma nova. Eu participei da ação de saúde e, logo em seguida, recebi a cadeira”, contou.

Capacitação - Um dos pilares do TerPaz é a oferta de cursos, oficinas e palestras, programação mantida durante o ano. Com o apoio das secretarias e instituições parceiras, os moradores continuaram recebendo diversos projetos, como “Menina, à Mulher”, “Cartografia Participativa”, “Projeto Recomeçar” e “Ter Conhecimento”, coordenados pela Seac; “Cenas de Paz”, pela Fundação de Radiodifusão do Pará (Funtelpa); “Ela Pode”, “Meu Endereço” e “Mapas Digitais”, ambos pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet); “Detran nas Escolas”, pelo Departamento de Trânsito (Detran); “Minha Escola Meu Refúgio”, coordenado pelas secretarias de Estado de Educação (Seduc) e de Segurança Pública e Defesa Social (Segup); “Empodera”, pelo Banco do Estado do Pará (Banpará); “Que Nem Maré”, “Escolinha de Futebol” e “Música Pela Paz”, além do Curso de Pintor de Obras, todos pela Seduc.

Também foram realizadas ações dos projetos “Asa Verde” e “Cantinho Verde”, coordenados pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap); “Economia Doméstica”, “Formação de Agentes Ambientais” e “Agenda Ambiental”, pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas); Curso de Agente Multiplicador em Educação no Trânsito, pelo Detran; Oficinas de Fotografia e Comunicação Comunitária, pela Secretaria de Estado de Comunicação (Secom); Educação Fiscal, pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), e de Biojoias, pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme).

A moradora Elda Costa, 42 anos, se capacitou por meio do Projeto “De Menina, à Mulher”. Segundo ela, “participar desse projeto, para mim, significou buscar independência financeira. Eu participei do Curso de Confecção de Bolsas e foi muito importante. Foi uma forma de aprender diversas técnicas de confecção, e ganhar dinheiro. Eu não estava trabalhando, mas com esse conhecimento adquirido nesse projeto comecei a empreender”, contou a moradora.

Documentos e emprego - Considerada uma das maiores demandas do TerPaz, as ações de emissão de documentos são as mais procuradas nos bairros. O serviço tem a parceria da Polícia Civil, para emissão de carteira de identidade, e da ação “Meu Registro”, para certidões de nascimento e óbito, por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster).

A doméstica Maria de Jesus Marques, 55 anos, participou de uma das ações de emissão de documentos. “Eu consegui a segunda via da certidão de nascimento. Essa ação está ajudando muito a comunidade, inclusive eu, que estou desempregada e não tinha condições de pagar por esse serviço”, disse Maria.

A Seaster também promove a ação Cadastro de Emprego, oferecendo aos moradores cadastro para trabalho e consulta à vaga de emprego. Aldry Notargiacomo, 18 anos, procurou a ação em busca de acesso ao mercado de trabalho. “Terminei o ensino médio recentemente e fui procurar uma vaga. Eu já fiz capacitação em enfermagem, em auxiliar em farmácia, assistente de saúde bucal e informática básica. Então, qualquer vaga nessa área seria bom”, informou Aldry.

Usina da Paz – O ano de 2021 foi marcado pela entrega da primeira unidade do complexo comunitário Usina da Paz (UsiPaz), um projeto do governo do Estado integrado ao TerPaz que oferece a permanência dos serviços do Estado nos territórios. A Usina da Paz Icuí-Guajará, em Ananindeua, já está em funcionamento desde o mês de outubro, ofertando diversas atividades de cultura, esporte e lazer, e cursos que abrem o acesso à cidadania.

A moradora Eloide Paiva, 45 anos, aproveitou os serviços da Usina da Paz e conseguiu seu RG e dos filhos. Além disso, uma das filhas está fazendo o Curso de Corte e Costura. “Essa Usina da Paz foi uma bênção nas nossas vidas. Consegui tirar os nossos documentos aqui no bairro; não foi preciso ir para longe. E minha filha está muito feliz porque está fazendo o Curso de Corte e Costura. É muito bom esse espaço”, afirmou.

São ofertados mais de 80 serviços gratuitos na UsiPaz, executados por órgãos e entidades parceiras do Estado, como espaços para atividades esportivas; salas de audiovisual e inclusão digital; atendimento médico e odontológico; consultoria jurídica; emissão de documentos; ações de segurança; capacitação técnica e profissionalizante, e espaço multiuso para feiras, eventos e encontros da comunidade. Também há estrutura adequada para cursos livres e de dança, teatro, robótica, artes marciais, musicalização e biblioteca. A Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Pará (Prodepa) oferece sinal de Wi-Fi gratuito para visitantes da Usina da Paz.

Segundo a gerência da Usina da Paz Icuí-Guajará, o equipamento público realizou, em apenas 40 dias de funcionamento, 19.429 atendimentos.

Carretas – O calendário anual do Programa TerPaz incluiu o Projeto “TerPaz, Formação Profissional”, para facilitar o acesso à formação profissional tecnológica, oferecendo qualificação aos jovens e adultos moradores de outras regiões de abrangência do TerPaz, visando à entrada ou ao retorno ao mercado de trabalho, por meio de cursos itinerantes.

O Programa também já dispõe de quatro carretas, que levarão diversos cursos e atendimentos nas áreas da gastronomia, saúde, refrigeração e informática.

Resultados - Para o titular da Seac, Ricardo Balestreri, 2021 foi um ano desafiador, mas com muitos resultados positivos. “Esse é um trabalho que congrega 36 secretarias e órgãos do governo, e com uma procura enorme, principalmente neste ano que ainda fomos atingidos pela pandemia de Covid-19, mas com uma grande diferença: agora o TerPaz já está enraizado, as pessoas procuram esses serviços, notadamente com a chegada da Usina da Paz”, disse o secretário.

Ainda segundo Ricardo Balestreri, “nós estamos chegando à história de vida dessas pessoas com um Estado que está presente e que ocupa esse espaço. Esse é o nosso papel. Realizamos não só atendimento. Nós trabalhamos com valores, educação, solidariedade e respeito. Todas as atividades do TerPaz, das Usinas da Paz e, em breve, com as carretas, têm caráter educativo. Para formar pessoas a serem melhores, nas relações interpessoais, e é com esse intuito que vamos continuar esse grande trabalho neste ano”.

Por Paulo Garcia (SEAC)


CIDADANIA 27/12 13h22

Ao todo, 31 alunos participaram da programação

Plantar a semente da conscientização quanto a importância de cada estudante no processo de preservação do meio ambiente, essa foi o mensagem que o 'Projeto Conecta Parque, levou aos estudantes do 6º ano da rede estadual de ensino do entorno da Usina da Paz na cerimônia de entrega dos certificados de participação do projeto. A certificação ocorreu na manhã desta quarta-feira (22), no Teatro da UsiPaz, no bairro Icuí-Guajará, em Ananindeua (Região Metropolitana de Belém).

Ao todo, 31 alunos participaram da programação, sendo 16 alunos da Escola Estadual Icuí-Laranjeiras e 15 da Escola Estadual Maria de Nazaré Marques Rios.

A ação faz parte da programação do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Pará (IDEFLOR-Bio), no âmbito do Projeto Usina da Paz (UsiPaz), integrado ao Programa Territórios pela Paz (TerPaz) do Governo do estado do Pará.

Os estudantes foram recebidos ao som da cantora lírica e diretora técnica da Fundação Carlos Gomes (FCG), Eugênia Pinon, na voz e piano elétrico, acompanhada de Robenari Marques. No decorrer da programação os alunos receberam o certificado, assistiram vídeo sobre a visita  no Parque Utinga e receberam também presente de Natal, doados pela Usina da Paz, com apoio da primeira-dama do Estado, Daniela Barbalho.

A presidente do IDEFLOR-Bio, Karla Bengtson, recepcionou os estudantes com muita alegria, e destacou que o Instituto, participa da 'UsiPaz' com ações de educação ambiental, por meio do Projeto Conecta Parque, que visa conscientizar para a importância da preservação da biodiversidade para um futuro sustentável, e atende alunos de escolas do entorno da (UsiPaz), matriculados no ensino fundamental. 

Na ocasião, a presidente convidou os alunos para uma nova aventura, conhecer o Refúgio de Vida Silvestre (Revis) Metrópole da Amazônia, uma Unidade de Conservação(UC) de proteção Integral criada em 2010, localizado na Região Metropolitana de Belém, à 23 Km da capital paraense Belém. 

"Vocês estão convidados a participar de um dia de muita aventura, e terão também a oportunidade de conhecer diversos tipos de animais e plantas da nossa fauna e flora". disse a presidente.

O Projeto Conecta Parque é dividido em dois momentos. O primeiro ocorre dentro da Usina, com realização de palestras e exibição de vídeo educativo sobre meio ambiente, proporcionando aos estudantes a oportunidade de ter contato com temas relevantes para a preservação do meio ambiente, estimulando o senso de responsabilidade ambiental que devem ter, além de visitação ao viveiro de mudas frutíferas e florestais, instalado na área externa do espaço.

A segunda é formada por visita monitorada à Unidade de Conservação, Parque Estadual do Utinga (Peut) “Camillo Vianna”, proporcionando aos estudantes uma experiência prática de conexão com a natureza, onde a sua sensibilidade e identificação é incentivada através das atividades que participam.

São oferecidos aos alunos: passeios de bicicleta; atividades de interpretação ambiental, na trilha guiada; e atividades esportivas, como rapel e passeio de bicicleta.

O gerente geral da Usina da Paz Icuí-Guajará, Alex Melul, deu boas vindas aos estudantes e destacou a importância das ações do Projeto Conecta Parque, integrado ao programa Território Pela Paz (TerPaz), com ações realizadas na UsiPaz e também no Parque Utinga, voltadas para a preservação do meio ambiente.

O professor de educação física da escola Estadual Maria de Nazaré Marques Rios, Carlos Paiva, parabenizou todos os servidores do IDEFLOR-Bio, pela realização do projeto, que proporcionou aos estudantes atividades ao ar livre, incluindo abordagens educativas sobre a importância da preservação do meio ambiente. "Por meio do projeto eu muitos de nossos alunos fomos ao Parque Utinga pela primeira vez, muito obrigado por nos proporcionar essa experiência. Gostaria que a ação se estendesse à escolas de outros bairros, proporcionando aos estudantes a oportunidade de vivenciar as belezas naturais do Parque", disse.

Por Aldirene Gama (IDEFLOR-BIO)


CIDADANIA 21/12 10h49

Com o coração cheio de orgulho e com brilho nos olhos a auxiliar de portaria, Valdinéia Borges, acompanhou a cerimônia de certificação de seu filho, Andrey Almeida, 24 anos, um dos 60 alunos que concluíram o curso “Escola de Formação e Liderança para a Juventude”, ministrado no período de quatro meses. O evento aconteceu nesta quinta-feira (16), no auditório Ismael Nery, no Centur, e proporcionou momentos de alegria para os moradores da Cabanagem e Guamá, bairros que integram o programa de governo Territórios pela Paz (TerPaz), através da Fundação ParáPaz.

“Agradeço muito a oportunidade que eles tiveram. Para eles é como se fosse uma formatura mesmo e os jovens precisam dessa oportunidade. Tem muitos pais que não têm condições de pagar um curso pro filho, como eu não tive nem para mim, e é um presente pra gente. Criei sozinha meus quatro filhos e tenho orgulho de quem eles se transformaram”, agradeceu Valdinéia, que trabalha na portaria da Associação Cristo Redentor, no bairro da Cabanagem, uma das sedes do curso, em Belém.

O aluno Wendel Ribeiro, 22 anos, pontuou que todos na turma eram muito tímidos por não estarem acostumados e por não se conhecerem, mas com o tempo foram se adaptando e o clima ficando cada vez melhor entre os alunos, principalmente a partir da atuação dos professores em sala.

“Eles sempre incentivavam a gente a conversar, a se expressar, nunca forçaram e nos deixavam à vontade e fomos criando intimidade. E aprendemos a como se portar numa entrevista de emprego, a interagir com a diversidade, se expressar, elaborar currículo. Quando a juventude termina o ensino médio geralmente não tem acesso a curso de qualificação gratuito e quando tem eu sempre meto a cara. A expectativa é que eu consiga colocar em prática todo o conhecimento que adquiri e consegui uma vaga no mercado de trabalho”, disse.

Segundo Renan Freitas, monitor e coordenador do projeto, “a “Escola de formação” não prepara os alunos apenas para exercer uma profissionalização, e sim para a vida. O poder de transformação social empregado a cada conteúdo ministrado tem como objetivo prepará-los para suas relações cotidianas e aprendizagens que vão para além de conteúdos e os alunos trocam experiências e constroem laços que vão ao encontro de uma educação para a cidadania”.

O projeto, que possibilitou a capacitação para jovens entre 14 e 29 anos, garante a formação de liderança juvenil, oferecendo profissionalização e contribuindo para o fortalecimento do elo entre sociedade civil e Estado por meio de práticas formativas e significativas que promovam o exercício da cidadania plena para a juventude paraense que vive em situação de vulnerabilidade social, oportunizando momentos de aprendizagem e construção de identidade humana e protagonismo juvenil e reflexão acerca de problemas atuais como: diversidade de gênero, violência doméstica, racismo, garantia de direitos, o contexto histórico da política no Brasil, entre outros, como destacou Alberto Teixeira, presidente da Fundação ParáPaz.

“Alavancar o conhecimento desses jovens é muito importante, principalmente nos dias atuais onde precisamos ter uma análise crítica e um direcionamento. Este é um curso bem abrangente com temas de fundamental importância não só no aspecto profissional, onde há uma preparação para o mercado de trabalho, como também há uma compreensão de tudo, do respeito, dignidade e só se aprende a ter esse respeito a partir da educação”.

Na ocasião, estavam presentes o diretor do Núcleo de Relações Institucionais da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), Júlio Alejandro Quezada Jélves; a diretora de Políticas Sociais da Fundação ParáPaz, Liani Dias; o presidente da Associação Cristo Redentor, Guilherme Cruz; as gestoras dos Territórios do Guamá e Cabanagem e a diretora da Escola Estadual Barão de Igarapé Miri, polo do TerPaz no Guamá.

Na terça-feira (21), será realizada a certificação dos alunos do bairro do Icuí-Guajará, em Ananindeua.

Por Nathalia Mota (PARAPAZ)


CIDADANIA 16/12 10h05

Animada, assim estava a estudante do 5° ano do ensino fundamental, Gabriele Albuquerque, de 10 anos. Ela foi uma das participantes da ação ‘Natal Contado e Encantado: O presente da biblioteca’, realizada esta manhã (14), na Usina da Paz Icuí-Guajará, em Ananindeua. “Estou muito feliz por estar aqui, está sendo muito legal, já que eu gosto bastante de ler. A atração que eu mais gostei foi a do teatro com fantoches”, disse a estudante.

A atividade reuniu cerca de 50 estudantes de 9 a 11 anos de idade, do 4° e 5° ano da Escola Estadual de Ensino Fundamental Deputado Armando Corrêa e foi realizada pela Fundação Cultura do Pará (FCP), em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), que tem como objetivo contribuir para a formação de novos leitores no município de Ananindeua. “Como estamos na época do Natal, pensamos em fazer uma programação voltada para a época e criamos uma peça, apresentada através de teatro de fantoche, onde foi abordada a importância da leitura, das crianças serem estimuladas a lerem junto com a família. A leitura estimula a criatividade, o conhecimento e a busca pela informação, então esse é o objetivo principal da ação. Além disso, essa parceria com a Usina da Paz e a Seduc, é de extrema importância’’, destacou a diretora de leitura e informação, Suzana Tota.

Durante o evento, foi realizada apresentação de fantoches, contação de histórias e apresentação musical. "Hoje nós revivemos o espírito natalino através da contação de história e sem deixar de pensar na leitura e na escrita, no desenvolvimento através desses contos. Com isso, nós estendemos a biblioteca até o teatro, trazendo a leitura de uma forma diferenciada. É o livro e a letra se tornado vivos e trazendo encanto para as crianças", afirmou a técnica pedagógica da Seduc, Simone Tota.

O estudante do 5° ano, Daniel Dutra, 10 anos, contou que estava encantado com as instalações da Usina da Paz e com as apresentações. "Eu estou achando tudo muito legal, gostei muito de ter vindo aqui e ter participado desse evento. A Usina da Paz é muito bonita e o teatro também", disse o estudante.

O frentista Emerson Costa foi levar a filha Estefani Caroline, 10 anos, para participar da ação. Ele contou que aprovou a iniciativa. "Eu achei essa programação muito importante para o desenvolvimento da criança, além da interação entre as crianças, a Usina e a escola. Eu estou admirado com esse espaço que está trazendo muitos benefícios para a população", disse o pai da estudante.

Por Elizabeth Teixeira (SEAC)

 


CIDADANIA 13/12 10h26

A manhã desta terça-feira (07) foi movimentada no complexo da Assistência da Usina da Paz Icuí-Guajará, em Ananindeua. A partir de hoje, os moradores vão poder se vacinar contra a Covid-19 neste equipamento público, integrado ao programa Territórios Pela Paz (TerPaz), do Governo do Estado.    

O aposentado José Valdecir aproveitou para tomar a terceira dose. “Achei muito boa essa iniciativa, moro aqui no bairro e vi a chamada dessa ação, não perdi tempo e vim tomar a dose de reforço”, disse.

A ação é realizada pela Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa) e está ofertando doses dos imunizantes da Pfizer e Coronavac. O objetivo é vacinar pessoas a partir de 12 anos de idade, seja a primeira, segunda ou terceira dose (reforço), após 5 meses da segunda dose.

Foto: Vinicius Santos / Nucom Seac

“Queremos é servir ainda mais a nossa população. As pessoas precisam se proteger. Por isso, abrimos também mais esse ponto de vacinação aqui na Usina da Paz Icuí-Guajará, dando esse suporte maior para que os moradores possam vir aqui se vacinar e, conforme a procura, vamos ampliando esse atendimento”, informou Alessandra Amaral, coordenadora da Sespa no TerPaz.

A garçonete Rejane Botelho mora em frente a UsiPaz e não perdeu tempo para se vacinar. “Essa é a minha primeira dose, tentei tomar em vários lugares, mas nunca conseguia, agora pude tomar a vacina aqui pertinho de casa. Vou chamar toda a minha família, que ainda não se vacinou, para se imunizar aqui na Usina, agradeço por essa oportunidade”, contou Rejane.

 

Foto: Vinicius Santos / Nucom Seac

Para participar é necessário levar CPF e comprovante das doses já realizadas, de terça a sexta-feira, nos horários de 8h às 17h.

ENTRADA NA USIPAZ

Após o anúncio das novas medidas para conter a proliferação do novo coronavírus no Pará, de acordo com o Decreto nº 2.044, que institui a Política Estadual de Incentivo à Vacinação contra a Covid-19, publicado nesta segunda-feira (06) no Diário Oficial do Estado, a Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), órgão responsável por gerenciar a Usina da Paz, informou que para entrar nos espaços do complexo agora será exigido a obrigatoriedade da apresentação do cartão de vacinação, com o esquema vacinal completo.

Foto: Vinicius Santos / Nucom Seac

“É muito importante essa parceria com a Sespa sobre essa vacinação, de acordo com o decreto do Governo do Estado, uma vez que os usuários agora só vão poder adentrar na Usina da Paz com as vacinas em dias. Isso é uma estratégia de segurança para todos, para que os cursos e as atividades continuem com o sucesso absoluto e os usuários tenham plena saúde para circular aqui nos nossos espaços”, informou Alex Melul, gerente geral da Usina da Paz.

Por Paulo Garcia (SEAC)


CIDADANIA 26/11 10h15

No Dia Internacional da Não Violência contra as Mulheres, 25 de novembro, o Governo do Estado apresentou uma iniciativa importante de combate à violência doméstica: a atualização e retomada do Sistema de Atendimento Integrado à Mulher (Siv Mulher 2.0). A ferramenta integra serviços psicossociais, médicos, de defesa social e de perícia em um único espaço, promovendo um atendimento integral, interdisciplinar e de qualidade às vítimas. 

Durante a programação, realizada nesta quinta-feira (25), no teatro da Usina da Paz Icuí-Guajará, a coordenadora de Integração de Políticas Públicas para as Mulheres da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Márcia Jorge, destacou que o uso facilitará o acesso aos dados e histórico dos atendimentos dentro das redes integradas, centralizando as informações e facilitando a criação de programas e projetos de forma mais específica. 

“Teremos acesso a sua situação socioeconômica, ao perfil mais completo de cada uma e, desta forma, podemos encaminhar para a rede de atendimento e oferecer cursos, qualificação dentro da área dessa vítima para que ela possa sair do fluxo da violência também com a contribuição das políticas públicas”.

Atendimento - A ferramenta será utilizada, a princípio, nas Unidades Integradas ParáPaz Mulher em Belém e Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, mas a expectativa é expandir o uso para todas as unidades de atendimento às mulheres no Pará. Segundo Alberto Teixeira, presidente da Fundação ParáPaz, o Siv Mulher 2.0 veio para somar ainda mais na atual gestão e na intersetorialidade dos órgãos.

“Utilizaremos de forma efetiva, propiciando um gerenciamento de informação para que possamos direcionar os nossos serviços e projetos com o objetivo de reduzir as estatísticas de violência contra a mulher. É o governo do Estado presente atuando em mais uma vertente em prol da mulher paraense”.

A assistente social Luani Moraes, que atua há um ano na ParáPaz Mulher Ananindeua, ressaltou que o principal foco da ferramenta é evitar a revitimização institucional da assistida, que já se encontra em situação de risco e de violência. Como a Polícia Civil também tem acesso, não há necessidade da vítima repetir sua história, muitas vezes difícil de relembrar, então essa troca de informação interna veio aperfeiçoar o trabalho dos órgãos e garantir confortabilidade à mulher num momento tão delicado. 

Elaboração - A Sejudh e a Fundação ParáPaz são os gestores do sistema. A Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado (Prodepa) é responsável pelo seu desenvolvimento e contou com uma equipe incansável em atender, interpretar e traduzir à realidade as várias demandas necessárias para melhoria do fluxo de atendimento, usando a tecnologia em favor do Estado, como enfatizou o presidente do órgão, Marcos Brandão. 

“É uma modernidade muito útil onde serão apresentados formulários e as informações poderão ser extraídas de maneira automática, durante preenchimento de formulário, que serão transformados em gráficos e estatísticas como orientações para decisões governamentais e avaliação das ações”, e garantiu ainda que a Prodepa está à disposição para as futuras evoluções e aperfeiçoamentos do sistema. 

Participaram da cerimônia, o Secretário da Sejudh, José Francisco; o gerente geral da UsiPaz Icuí, Alex Melul; Julio Alejandro, diretor geral do Núcleo de Relações Institucionais da Seac; Deputada Estadual Nilse Pinheiro, representando a Alepa; Luciana Filizolla, representando a Defensoria Pública do Estado do Pará; Lívia Noronha, coordenadora da Mulher de Belém e o delegado-geral da Polícia Civil do Pará, Walter Rezende que afirmou que “é um instrumento de fundamental  importância dessa nossa luta constante pela defesa às mulheres, mulheres guerreiras, empoderadas e que cada vez mais, com muita justiça e competência, alcança seu espaço” e que a Polícia Civil, dentro de suas atribuições, mantém seu compromisso com a sociedade, não medido esforços para alcançar um horizonte maior nesta luta. Dentre os órgãos parceiros, está o Ministério Público do Pará e a Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa (Alepa).

Por Nathalia Mota (PARAPAZ)


CIDADANIA 18/11 11h43

As oficinas de violão popular, serigrafia básica e adornos em cerâmica caíram no gosto dos participantes, acima de 15 anos de idade

A Fundação Cultural do Pará deu início, nesta terça-feira (16), na Usina da Paz Icuí-Guajará, ao primeiro ciclo de atividades, com as oficinas de violão popular, serigrafia básica e adornos em cerâmica – todas ministradas por professores das Oficinas Curro Velho.

Na oficina de serigrafia básica, os alunos aprendem os fundamentos necessários para chegar ao resultado da estamparia. “Trabalhamos desde a parte da confecção da tela, a preparação das imagens, até a estampa final”, explica o professor Lúcio Lavareda.

Lavreda destaca, ainda, o aspecto democrático da oficina. “Qualquer pessoa acima de 15 anos pode participar, independentemente de experiência. Como essa é a primeira aula, estou colocando a turma pra fazer umas pinturas, botar a mão na massa, se sujar um pouco pra ter a vivência completa”.

Jamille Tavares é uma das alunas da turma, e está adorando descobrir uma técnica nova. “É a minha primeira experiência com serigrafia. Nunca tinha visto nada parecido. Eu já faço pintura em tela, então me interessei bastante”.

Jamille vê no aprendizado uma chance de desenvolver seu talento: “aprender essa linguagem é mais uma maneira de a gente se descobrir e se especializar, além de poder trabalhar com isso depois”, completa.

Na oficina de adornos em cerâmica, a turma está lotada. “Estou achando a estreia maravilhosa. É gratificante conhecer esse público novo, a sala está cheia e os alunos estão super interessados”, elogia Maria Santana dos Santos Magalhães, ceramista e professora do Curro Velho. “A cerâmica é minha carreira e minha vida, e tenho certeza que daqui pode sair alguém apaixonado pelo ofício como eu”.

Como na serigrafia, as aulas de adornos já começaram de maneira prática, com todos experimentando as técnicas de manusear, cortar e moldar a argila. A dona de casa Terezinha Chaves, aluna do curso, aprovou. “É um momento relaxante, que a gente esquece todos os nossos afazeres de casa e se entrega aqui”, opinou a estreante em artesanato, que se empolgou com a possibilidade de descobrir uma nova carreira. “De repente pode ser mais uma fonte de renda, se eu conseguir fazer algo bonitinho. Posso fazer e vender colares, pulseiras, várias coisas”.

SERVIÇO

Tanto as aulas de serigrafia básica quanto de adornos em cerâmica vão de 16 a 25 de novembro, das 14h às 18h. Já a oficina de violão popular vai até o dia 8 de dezembro, com aulas às terças, quintas e sextas, das 9h às 12h.

Por Governo do Pará (SECOM)


CIDADANIA 21/10 15h07

Moradores vão poder usufruir das instalações de dois prédios principais que irão ofertar diversos cursos, oficinas e atendimento público, um espaço para batedores e produtos de açaí, teatro, complexo poliesportivo, quadra de areia, entre outros.

Foto: Pedro Guerreiro / Ag.Pará

O município de Ananindeua agora conta com um complexo comunitário chamado Usina da Paz, projeto inovador integrado ao programa Territórios pela Paz (TerPaz), do Governo do Estado. A entrega deste equipamento público foi realizada pelo Governador Helder Barbalho, na tarde da última quarta-feira (20).

“O objetivo é que nós possamos utilizar esse espaço para atividades culturais, esporte e lazer. Garantindo também serviços de identificação, microcrédito, qualificação profissional, projetos sociais, empreendedorismo… diversos serviços para que, com isto, possamos reafirmar a esta comunidade que compõe os Territórios pela Paz que o Estado está presente e que agora tem um equipamento do mais alto nível. Mostrando que é possível a transformação social a partir de uma grande união do poder público e a comunidade”, informou o governador do Estado, Helder Barbalho.

A cerimônia foi acompanhada pela primeira-dama do Estado, Daniela Barbalho, o senador Jader Barbalho, a deputada federal Alcione Barbalho, o prefeito de Ananindeua, Dr Daniel Santos, o prefeito de Belém em exercício Edilson Moura, e demais autoridades municipais e estaduais.

Foto: Divulgação

Durante o evento, simbolicamente 20 famílias foram contempladas com o “Sua Casa”. O programa habitacional concede até R$ 21 mil para construção, reconstrução e ampliação da residência de pessoas em vulnerabilidade. A Secretaria de Saúde Pública (Sespa) realizou também a entrega de cadeiras de roda e equipamentos necessários às Pessoas com Deficiências (PcDs). A Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), órgão responsável por coordenar o projeto, entregou uma placa de homenagem aos moradores, servidores e à primeira-dama do Estado, Daniela Barbalho, pela dedicação do trabalho voluntário prestado ao programa.

 

Estrutura

Foto: Pedro Guerreiro / Ag.Pará

Localizada na Estrada do Icuí-Guajará esquina com a Avenida Independência, a Usina da Paz estará em funcionamento no dia seguinte à inauguração. Os moradores vão poder usufruir das instalações de dois prédios principais que irão ofertar diversos cursos, oficinas e atendimento público, um espaço para batedores e produtos de açaí, teatro, complexo poliesportivo, quadra de areia, piscina semiolímpica, playground, área viveiro, compostagem e horta, academia ao ar livre e estacionamento.

“Nós temos hoje aqui no Pará um projeto de inclusão social e de geração de oportunidade mais bem integrado do Brasil, somos 36 secretarias e órgãos de governo atuando no programa TerPaz que produziu 365 mil beneficiamento em dois anos e agora se expande para essa nova etapa que são as Usinas da Paz. Aqui será um conglomerado de serviços que vai transformar a nossa experiência em uma experiência diferente de qualquer outra do Brasil, um projeto revolucionário”, ponderou o secretário da Seac Ricardo Balestreri.

Foto: Pedro Guerreiro / Ag.Pará

Esse será o primeiro equipamento público a ser entregue. A meta do Estado é a construção de 10 Usinas da Paz entre a Região Metropolitana de Belém (nos bairros da Cabanagem, Benguí, Guamá, Jurunas, Terra Firme, em Belém, Icuí-Guajará, em Ananindeua e Nova União, em Marituba), e no sudeste do Estado (Parauapebas, Canaã dos Carajás e Marabá).

 

Modernidade

Foto: Bruno Cecim / Ag.Pará

A Usina da Paz do Icuí foi construída em um terreno de 10.725 m2 de área total. A unidade tem área construída de 4.103,29 m2. O projeto foi desenvolvido pela arquiteta Bel Lobo e se adapta às características climáticas da região amazônica, como chuvas durante todo o ano e altas temperaturas. Neste sentido, as áreas de circulação dentro dos prédios da Usina e da Assistência contam com iluminação e ventilação natural.

Pensado dentro de conceito de sustentabilidade, a Usina dispõe de estações de tratamento de esgoto e, dentro da política de neutralização das emissões de carbono geradas durante a fase de construção, a Vale efetuou o plantio de 200 mudas na unidade.

Foto: Marco Santos / Ag.Pará

O prédio da Assistência tem um total de 32 salas, já o prédio da Usina conta com 19 salas. Esses ambientes são climatizados com sistema VRF moderno, que promove intensa renovação do ar. 

 

Parceria

Foto: Bruno Cecim / Ag.Pará

As obras da Usina da Paz do Icuí-Guajará foram executadas em um terreno de 10mil m2, em parceria com a mineradora Vale, por meio de um termo de cooperação.

“A Usina da Paz Icuí, entregue hoje à comunidade, é resultado da parceria e do compromisso social assumido pela Vale junto ao Governo do Pará. Essa é a primeira de seis usinas que serão construídas pela Vale na grande Belém e nos municípios de Parauapebas e Canaã. Projetos como esse, só reforçam o nosso propósito, de melhorar a vida e juntos transformar o futuro das pessoas que vivem nas regiões onde operamos”, afirma o diretor-presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo.

A Usina foi entregue ao governo, após 18 meses do início da construção, pronta e equipada. A obra gerou, nesse período, a oferta de 100 vagas de emprego direto, com a contratação de mão de obra local do próprio bairro.

 

Funcionamento

Foto: Bruno Cecim / Ag.Pará

A partir desta quinta-feira (21), os moradores vão poder usufruir das instalações de dois prédios principais que irão ofertar diversos cursos, oficinas e atendimento público, um espaço para batedores e produtos de açaí, teatro, complexo poliesportivo, quadra de areia, piscina semiolímpica, playground, área de viveiro, compostagem e horta, academia ao ar livre e estacionamento.

A moradora Aline Pinheiro estava prestigiando a cerimônia de entrega da Usina da Paz. “Moro no Icuí há 15 anos. Agora nosso bairro agora está lindo, todos vão usufruir desse equipamento, muita gente aqui não tem emprego então esse projeto vai ajudar muita gente, o Governo está de parabéns”, comentou Aline.

Mais de 80 serviços gratuitos serão disponibilizados pelas secretarias e órgãos do Estado, como espaços para atividades esportivas; salas de audiovisual e inclusão digital; atendimento médico e odontológico; consultoria jurídica; emissão de documentos; ações de segurança; capacitação técnica e profissionalizante; espaço multiuso para feiras, eventos e encontros da comunidade.

Foto: Divulgação

Também haverá espaços para cursos livres e de dança, teatro, robótica, artes marciais, musicalização e biblioteca. Além disso, será disponibilizado pela Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Pará (Prodepa) sinal de Wi-fi gratuito para os moradores que vivem próximo à Usina da Paz. O funcionamento do complexo será de terça-feira a sexta-feira, das 7h às 22h, aos sábados e domingos, das 8h às 18h.

A auxiliar administrativo, Yone Nascimento, de 29 anos, estava encantada com os espaços. “Achei muito lindo, era o que a nossa comunidade estava precisando. Espero que os moradores cuidem desse equipamento, pois eu vou aproveitar tudo”, disse.

Foto: Wagner Pinheiro / Ag.Pará

Por Paulo Garcia (SEAC)


CIDADANIA 07/10 10h29

Os idosos, que têm sequelas da Hanseníase, visitaram o espaço com gestores da Seac e se informaram sobre o atendimento, que inclui pessoas com deficiência

 

Representantes do Núcleo de Relações Institucionais (NRI), da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), e integrantes da Unidade Especial Abrigo João Paulo II, que atende idosos com sequelas da Hanseníase (doença infecciosa que causa, sobretudo, lesões na pele e nos nervos), estiverem na tarde desta quarta-feira (06) no canteiro de obras da Usina da Paz no bairro Nova União, em Marituba – município da Região Metropolitana de Belém. O objetivo foi mostrar a estrutura do complexo, que oferecerá diversos serviços à população.

“Essa visita surgiu após uma ação realizada no Dia do Idoso, onde nós, da Câmara Técnica do TerPaz, fomos juntamente com a primeira-dama do Estado, Daniela Barbalho, a Secretaria de Saúde e a Fundação ParáPaz, até esse abrigo, levando cadeiras de rodas e cestas básicas. Essa visita de hoje é a continuação dessa ação. Aqui eles puderam ver de perto esse complexo, que também vai beneficiar pessoas com deficiência”, informou o diretor-geral do Núcleo de Relações Institucionais da Seac, Julio Alejandro Quezada.

Jorge da Silva, 59 anos, residente do Abrigo, disse que estava muito feliz em ter participado da visita e conhecido um pouco mais sobre os serviços que serão implantados na UsiPaz. “Esse é um projeto de inclusão maravilhoso. Depois de pronto, será um verdadeiro paraíso, não só para as pessoas deficientes, como para toda comunidade, porque vai disponibilizar diversos serviços’, acrescentou Jorge da Silva. 

Obra visionária - A Unidade Especial Abrigo João Paulo II funciona desde 1976 atendendo pessoas com sequelas de Hanseníase, remanescentes da antiga Colônia de Marituba, que recebia pessoas com a doença. Atualmente, mantém 27 residentes. A gestora do abrigo, Patrícia Pinheiro, destacou a importância das Usinas da Paz. “Essa é uma obra visionária. Só tendo a sensibilidade do nosso governador e da primeira-dama para criar uma obra magnífica, e que vai, sem dúvida, ajudar muito a população aqui de Marituba, e também quem sofre com algum tipo de deficiência, porque infelizmente a acessibilidade no nosso País não é prioritária. Mas graças a Deus aqui no nosso Estado é diferente. Essa temática é prioridade. Agora, eles vão ter acesso a inúmeros serviços. A realidade deles, sem dúvida, vai mudar”, reiterou a gestora.

Para o coordenador do Movimento de Reintegração de Pessoas Afligidas pela Hanseníase (Morhan), Edimilson Picanço, desde a implantação do Programa TerPaz em Marituba, o cenário mudou para melhor. “Desde o surgimento do TerPaz aqui já percebemos mudanças significativas. Percebemos a diminuição da violência. Além disso, o Programa tirou muitos jovens da situação de vulnerabilidade, oferecendo serviços, e também ações voltadas para idosos e pessoas com deficiência. Com a implantação da Usina, creio que vai trazer ainda mais benefícios para os moradores de Marituba”, afirmou o coordenador do Morhan.

Estrutura de cidadania - A Usina da Paz é um projeto integrado ao programa estadual Territórios Pela Paz (TerPaz), elaborado pelo Governo do Pará e coordenado pela Seac, em parceria com a iniciativa privada. A meta do Estado é a construção de 10 Usinas, entre a Região Metropolitana de Belém e a região sudeste paraense.

As obras da Usina de Marituba são executadas em parceria com a mineradora Vale, por meio de um termo de cooperação. O Estado não recebe nenhum recurso financeiro. A Usina será entregue ao governo pronta e equipada.

As UsiPaz serão complexos de promoção da cidadania, com espaços para atividades esportivas; salas de audiovisual e inclusão digital; atendimento médico e odontológico; consultoria jurídica; emissão de documentos; ações de segurança; capacitação técnica e profissionalizante; espaço multiuso para feiras, eventos e encontros da comunidade.

Também haverá espaços para cursos livres e de dança, teatro, robótica, artes marciais, musicalização e biblioteca.

Por Elizabeth Teixeira (SEAC)

 


CIDADANIA 07/10 10h12

A Usina da Paz é um projeto integrado ao programa estadual Territórios Pela Paz (TerPaz), elaborado pelo Governo do Pará e coordenado pela Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac)

Na manhã desta quarta-feira (6), gestores da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e demais membros da equipe técnica estiveram visitando as obras da Usina da Paz do Icuí-Guajará, em Ananindeua, com o objetivo de realizar ajustes e analisar os espaços que serão utilizados pelo órgão. 

A Usina da Paz é um projeto integrado ao programa estadual Territórios Pela Paz (TerPaz), elaborado pelo Governo do Pará e coordenado pela Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), em parceria com a iniciativa privada. 

As UsiPaz serão complexos físicos de promoção da cidadania e saúde. "Hoje podemos verificar os espaços em que a Secretaria vai atuar. Foi uma visão mais ampla daquilo que cabe à Sespa, pois vamos oferecer atendimento médico clínico, odontológico e psicológico. Ao todo serão 18 profissionais envolvidos, entre médicos, psicólogos, odontólogos, técnicos em higiene dental, enfermeiros e técnicos de enfermagem”, destacou o secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho. 

Segundo ainda o titular da Sespa, foi uma visita para que a equipe técnica da Sespa pudesse fazer o alinhamento final, já que a obra da Usina da Paz do Icuí está em fase de conclusão. “Além dos atendimentos, daremos também palestras educativas preventivas sobre diversos temas relacionados à saúde clínica e bucal, aos meses alusivos e rodas de conversas”, complementa.

Estiveram na visita o secretário adjunto de Políticas de Saúde, Sipriano Ferraz; as representantes do TerPaz pela Sespa, Alessandra Amaral, Ivete Boulhosa e Marilda Braga; a diretora técnica da Sespa, Carla Figueiredo; a diretora de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Kelly Silveira e o diretor de Patrimônio, Renato Flores.  A equipe foi recebida pelo representante da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), Ari Maia.

Por Mozart Lira (SESPA)