No penúltimo dia de ano (30), o clima é de reflexão sobre o ano que se despede e os planos para o que se aproxima. Agradecimentos pelos bons momentos cada vez mais valorizados e desejos de melhorias futuras estão entre os sentimentos que vibram no Pará.

A Usina da Paz do Icuí, integrada ao programa Territórios Pela Paz (TerPaz), coordenado pela Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), foi entregue em 2021 e já começa a fazer a diferença na vida das pessoas. 

Solange do Socorro Rodrigues dos Santos, é usuária do curso de Costura Industrial. “Em 2022 espero concluir esse curso e já ter a oportunidade de começar a trabalhar com tudo o que eu aprendi. Isso vai favorecer muito a minha situação financeira, gerar renda para ajudar minha família. Essa oportunidade foi muito boa, que outras pessoas também possam ter. Que seja um ano de muita sorte para todos”, deseja. 

A colega dela, Sebastiana Alves Nazaré, conta que o ano foi muito difícil ainda por conta dos efeitos da pandemia. “Fiquei muito em casa, devido a idade, mas graças a Deus somos vencedores, não adoeci. Quando acalmou comecei a fazer o curso e estou gostando muito, espero que em 2022 sejam oferecidos mais para a população. É um aprendizado muito bom para nós. Vai me ajudar muito, é a primeira vez que manuseio uma máquina industrial e para mim, que vivo da costura, espero aprender mais ainda”, almeja. 

Já Carlaide Amaral de Souza, 65 anos, usuária da hidroginástica, diz que a atividade está ajudando a cuidar da saúde. “Eu estava precisando. Foi ótimo, estou gostando muito e já comecei a emagrecer, que é o que eu estava querendo. O ano de 2021 foi bem tranquilo para minha família, não adoecemos. Estamos fazendo de tudo para não pegar o vírus. Para 2022, desejo muita paz, saúde e trabalho”, afirmou. 

Cidadania

Danielle Ferreira, dona de casa, 38 anos, veio fazer a emissão de RG. “Com todas as tribulações, mas o ano foi muito bom e agradeço a Deus porque foi com saúde. Espero muita paz, saúde e prosperidade para 2022. Desejo um bom emprego, estou sem trabalho há um ano e mudaria quase tudo, minha autoestima e bem estar”, avalia.

Quem também foi procurar o serviço foi o aposentado Raimundo Nonato de Sousa, 77 anos. “Está tudo indo muito bem, o atendimento. Esperamos que daqui para frente continue e melhore mais um pouco. É a segunda vez que venho aqui e gosto muito dos funcionários, do atendimento. Para minha vida pessoal espero que Deus me dê minha saúde e eu continue fazendo meus serviços como cozinheiro. Cada vez melhorando mais. Adoeci, mas Deus me curou, e desejo muita saúde para todos”, pontuou.

O servente Natanael da Silva, 43 anos, destacou a importância do ano que se aproxima. “2021 foi um ano de muita batalha e correria, mas graças a Deus está dando tudo certo. Vim atrás dos benefícios, documentação. Creio que 2022 vai ser melhor ainda, de muita mudança. Estamos esperando que é um ano de eleição, que a mente da população seja iluminada para fazer uma votação correta e depois não venha a se arrepender. Para minha vida creio que os propósitos que eu tinha em mente, graças a Deus, consegui, mas vai ter muita mudança também”, imagina.

Para a psicóloga da Usina, Ana Lúcia Cordeiro, o espaço veio ocupar um papel importante na garantia da cidadania da comunidade. “Ela é relevante para as pessoas que viviam desprovidas de um atendimento de qualidade em todos os aspectos, tanto de saúde física e mental, educação, acesso a profissionalização, direitos básicos. Com os serviços de qualidade podemos reduzir o sofrimento psicológico, a questão da depressão e ansiedade, melhorando a qualidade de vida. Estamos atendendo muitos casos de adolescentes e oferecendo o serviço de saúde. Em 2022 pretendemos ampliar os atendimentos em grupo, multiplicadores sobre diversos temas, trabalhar com as práticas restaurativas entre outras”, informou. 

A meta do Estado é a construção de 10 Usinas da Paz entre a Região Metropolitana de Belém. Nos bairros da Cabanagem, Benguí, Guamá, Jurunas, Terra Firme, em Belém e Nova União, em Marituba, e no sudeste do Estado nas cidades de Parauapebas, Canaã dos Carajás e Marabá.

Por Dayane Baía (SECOM)