Com o coração cheio de orgulho e com brilho nos olhos a auxiliar de portaria, Valdinéia Borges, acompanhou a cerimônia de certificação de seu filho, Andrey Almeida, 24 anos, um dos 60 alunos que concluíram o curso “Escola de Formação e Liderança para a Juventude”, ministrado no período de quatro meses. O evento aconteceu nesta quinta-feira (16), no auditório Ismael Nery, no Centur, e proporcionou momentos de alegria para os moradores da Cabanagem e Guamá, bairros que integram o programa de governo Territórios pela Paz (TerPaz), através da Fundação ParáPaz.

“Agradeço muito a oportunidade que eles tiveram. Para eles é como se fosse uma formatura mesmo e os jovens precisam dessa oportunidade. Tem muitos pais que não têm condições de pagar um curso pro filho, como eu não tive nem para mim, e é um presente pra gente. Criei sozinha meus quatro filhos e tenho orgulho de quem eles se transformaram”, agradeceu Valdinéia, que trabalha na portaria da Associação Cristo Redentor, no bairro da Cabanagem, uma das sedes do curso, em Belém.

O aluno Wendel Ribeiro, 22 anos, pontuou que todos na turma eram muito tímidos por não estarem acostumados e por não se conhecerem, mas com o tempo foram se adaptando e o clima ficando cada vez melhor entre os alunos, principalmente a partir da atuação dos professores em sala.

“Eles sempre incentivavam a gente a conversar, a se expressar, nunca forçaram e nos deixavam à vontade e fomos criando intimidade. E aprendemos a como se portar numa entrevista de emprego, a interagir com a diversidade, se expressar, elaborar currículo. Quando a juventude termina o ensino médio geralmente não tem acesso a curso de qualificação gratuito e quando tem eu sempre meto a cara. A expectativa é que eu consiga colocar em prática todo o conhecimento que adquiri e consegui uma vaga no mercado de trabalho”, disse.

Segundo Renan Freitas, monitor e coordenador do projeto, “a “Escola de formação” não prepara os alunos apenas para exercer uma profissionalização, e sim para a vida. O poder de transformação social empregado a cada conteúdo ministrado tem como objetivo prepará-los para suas relações cotidianas e aprendizagens que vão para além de conteúdos e os alunos trocam experiências e constroem laços que vão ao encontro de uma educação para a cidadania”.

O projeto, que possibilitou a capacitação para jovens entre 14 e 29 anos, garante a formação de liderança juvenil, oferecendo profissionalização e contribuindo para o fortalecimento do elo entre sociedade civil e Estado por meio de práticas formativas e significativas que promovam o exercício da cidadania plena para a juventude paraense que vive em situação de vulnerabilidade social, oportunizando momentos de aprendizagem e construção de identidade humana e protagonismo juvenil e reflexão acerca de problemas atuais como: diversidade de gênero, violência doméstica, racismo, garantia de direitos, o contexto histórico da política no Brasil, entre outros, como destacou Alberto Teixeira, presidente da Fundação ParáPaz.

“Alavancar o conhecimento desses jovens é muito importante, principalmente nos dias atuais onde precisamos ter uma análise crítica e um direcionamento. Este é um curso bem abrangente com temas de fundamental importância não só no aspecto profissional, onde há uma preparação para o mercado de trabalho, como também há uma compreensão de tudo, do respeito, dignidade e só se aprende a ter esse respeito a partir da educação”.

Na ocasião, estavam presentes o diretor do Núcleo de Relações Institucionais da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), Júlio Alejandro Quezada Jélves; a diretora de Políticas Sociais da Fundação ParáPaz, Liani Dias; o presidente da Associação Cristo Redentor, Guilherme Cruz; as gestoras dos Territórios do Guamá e Cabanagem e a diretora da Escola Estadual Barão de Igarapé Miri, polo do TerPaz no Guamá.

Na terça-feira (21), será realizada a certificação dos alunos do bairro do Icuí-Guajará, em Ananindeua.

Por Nathalia Mota (PARAPAZ)